Desperdício alimentar e datas de validade: Significam todas o mesmo?

Data de validade: Reduza o desperdício

A data de validade no rótulo de um produto alimentar é uma ferramenta útil para garantir a segurança do consumidor. No entanto, se esta menção não for corretamente compreendida, poderá contribuir para o desperdício alimentar. Isto acontece porque o consumidor pode rejeitar produtos que ainda estão aptos para consumo. Já aqui lhe falámos sobre a leitura de rótulos.

Segundo inquéritos da Comissão Europeia, o significado das datas de validade dos rótulos dos produtos não é suficientemente compreendido pelos consumidores.

Neste sentido, pouco menos de metade (47%) dos cidadãos da União Europeia compreende o significado de “consumir de preferência antes de”. E ainda, só 40% compreende o significado de “consumir até”(3).

Relativamente aos alimentos cultivados, e não consumidos, estes têm elevados custos ambientais (uso de energia e recursos naturais, assim como, emissão de gases de efeito estufa) e económicos significativos. Sendo assim, os custos diretos do desperdício alimentar de produtos agrícolas (excluíndo peixe e marisco), com base nos preços do produtor, ronda os 750 mil milhões de dólares(2).

Deste modo, com alguma informação, grande parte do desperdício alimentar poderia ser evitado (1).

Mas, como saber a diferença?

Existem duas formas diferentes de apresentação da validade:

Data-limite de consumo

Esta designação indica a data até à qual o produto deve ser consumido. É aplicável aos produtos alimentares, microbiologicamente muito perecíveis, suscetíveis de, após um curto período, apresentar um perigo imediato para a saúde humana. Após esta data, não se pode garantir que os géneros alimentícios estejam em condições de consumo seguro. Neste caso, no rótulo surge a designação “consumir até”, sendo proibida a sua comercialização após terminar a data mencionada. Como exemplo destes produtos, temos a carne e peixe frescos, iogurtes, queijo fresco, saladas preparadas (4ª gama), sanduíches e refeições prontas. Surge com a indicação do dia, mês e, eventualmente, ano. (4, 5, 6).

Data de durabilidade mínima

Esta designação corresponde à data até à qual se considera que os géneros alimentícios conservam as suas propriedades específicas, nas condições de conservação recomendadas no rótulo. É aplicável aos produtos alimentares pouco perecíveis, não existindo proibição de venda após expirar a data indicada (assumindo o vendedor a responsabilidade de segurança do produto e, desde que, informando adequadamente o consumidor que os produtos têm a data de durabilidade mínima ultrapassada). Nestes casos, no rótulo surgem as designações “Consumir de preferência antes de” e “Consumir de preferência antes do fim de”. A primeira designação é atribuída, geralmente, a produtos com validade inferior a 3 meses como é o caso do azeite, batatas fritas e os cereais, com indicação do dia, mês e ano. A segunda é atribuída, geralmente, a produtos com validades superiores a 3 meses como é o caso dos congelados ou conservas, com indicação do mês e do ano. Estes produtos podem ser consumidos após esta data, desde que sejam respeitadas as regras de conservação específicas de cada produto indicadas nos respetivos rótulos. (4, 5, 6)

Existem ainda casos de produtos que podem não ter a indicação de validade:

  • Produtos não perecíveis microbiologicamente, consideradas conservantes naturais. Como é o caso do sal, açúcar ou vinagre. De qualquer das formas, deverão ser sempre respeitadas as menções de conservação presentes no rótulo, de modo a serem mantidas as suas propriedades
  • Produtos que são disponibilizados ao consumidor diretamente no ponto de venda/loja. As indicações de validade escrita não são obrigatórias, como é no caso de produtos cortados/manipulados em loja e vendidos ao balcão (charcutaria fatiada, carne fresca, peixe fresco, produtos de padaria e pastelaria) ou produtos vendidos a granel. Embora sem indicação escrita, estes produtos devem ser consumidos no próprio dia ou o mais rapidamente possível(4)

O combate ao desperdício alimentar só será possível com uma ação sinérgica de todos os atores envolvidos. Desde a produção, distribuição e até ao lar de cada um de nós. Nas nossas lojas, temos produtos sinalizados com etiqueta laranja de “Aproximação de fim do prazo de validade”. A sinalização destes produtos permite que sejam mais facilmente reconhecidos pelos consumidores, contribuíndo assim para a prevenção do desperdício alimentar. Outras estratégias utilizadas são, por exemplo, a existência de mercado avulso (saiba mais sobre a nossa oferta avulso) e self-discount.

Não se esqueça!

  • Organize a sua despensa e o seu frigorífico
  • Verifique regularmente as data de validade dos produtos
  • Planeie o seu consumo de acordo com os respetivos prazos

Outras formas de evitar o desperdício alimentar em casa pode passar por planear a ementa semanal ou aproveitar as sobras. Para saber mais sobre o tema da conservação, consulte os nossos artigos sobre alimentos que deve guardar no frigorifico ou vegetais congelados.

Pode ainda consultar dicas para ajudar a combater o desperdício alimentar e o desafio de o fazer nas épocas festivas.

 

 

Dalila Abreu
Nutricionista Estagiária Jumbo
Membro Estagiário da Ordem dos Nutricionistas nº 2691NE