Mirtilo: um fruto pequeno mas recheado de benefícios

Pequeno e arredondado, com pele firme, de cor azul-arroxeada e ligeiramente empoeirada, por fora, é assim o mirtilo. No interior é sumarento, aromático e com um sabor agridoce.

O mirtilo cresce, de forma espontânea, em arbustos e em ambientes húmidos. Em Portugal, é comum encontra-lo nos pinhais, matos e montanhas do Alto Minho, Marão e da Serra da Estrela.

Em termos nutricionais, o mirtilo é um fruto com baixo valor energético.

Por outro lado, é rico em fibra, o que lhe confere benefícios na regulação do trânsito intestinal e diminuição da absorção de açúcares e gorduras. É ainda fonte de Vitamina E e de Vitamina C apresentando, por isso, os seguintes benefícios:

  • contribui para manter o normal funcionamento do sistema imunitário
  • contribui para manter o normal funcionamento do sistema nervoso
  • contribui para a redução do cansaço e da fadiga
  • contribui para a proteção das células contra as oxidações indesejáveis
  • aumenta a absorção de ferro

No que respeita ao teor de açúcares, os mirtilos estão entre as frutas com menor teor e têm ainda um baixo Índice Glicémico o que os torna uma opção muito interessante para diabéticos e em dietas de emagrecimento.

Há ainda a salientar que os mirtilos contêm antocianinas, que são flavonóides com efeito antioxidante e anti-inflamatório, que reforçam o seu contributo na proteção das células contra as oxidações indesejáveis.

Os mirtilos podem ser guardados no frigorífico entre 10 e 14 dias e podem ser consumidos de várias formas:

Com tantas opções, não há razão para não incluir mirtilos na sua alimentação! Para obter todos os seus benefícios, só precisa ter o cuidado de os lavar apenas quando os for consumir.

Referências bibliográficas:

Regulamento (UE) Nº 432/2012

 

Cátia Gouveia Miguel
Nutricionista Auchan
Nº da Ordem dos Nutricionistas 1757N