Covid-19 e Transmissão Alimentar

Segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS), existe ainda pouca evidência científica sobre a relação entre a doença por SARS-CoV-2 (COVID-19) e a alimentação e, por isso, questões e dúvidas têm surgido todos os dias:

  1. O Covid-19 é transmitido via alimentar?
  2. Como se pode reforçar o sistema imunitário?
  3. Qual a alimentação adequada para a população idosa?

1. O Covid-19 é transmitido via alimentar?

Esta talvez seja a questão mais controversa mas, de acordo com a Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar (EFSA) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), não existe, até ao momento, prova de que o Covid-19 pode ser transmitido via alimentar. Segundo a EFSA “a experiência dos surtos anteriores com coronavírus, nomeadamente com o coronavírus SARS-CoV e com o coronavírus MERS-CoV, mostra que a sua transmissão não ocorreu através do consumo alimentar”.

No entanto, tanto a OMS como a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), recomendam agir por precaução e devem ser mantidas e reforçadas as Boas Práticas de Higiene e Segurança Alimentar durante a manipulação, preparação e confeção dos alimentos.

  • Lavagem frequente e prolongada das mãos, usando preferencialmente água e sabão durante pelo menos 20 segundos. Ao secar as mãos, ter o cuidado de não voltar a por a mão lavada na torneira, fechando-a com uma toalha de papel;
  • Higienização apropriada das bancadas de trabalho e das mesas com produtos. Lavar para retirar resíduos e sujidades grosseiras e desinfectar para destruir microorganismos usando desinfectante;
  • Evitar a contaminação entre alimentos crus e cozinhados. Usar tábuas e facas distintas, designar bancadas ou espaços diferentes, se não for possível, higienizar utensílios e materiais entre utilizações;
  • Lavagem adequada dos alimentos crus.
    Todos os hortofrutícolas a servir crus (incluindo salsa, hortelão, coentros) e frutos sem casca devem ser bem lavados e desinfectados da seguinte forma:

    1. Rejeitar folhas exteriores e partes velhas ou pisadas
    2. Lavar com água corrente
    3. Mergulhar tanto as frutas como os hortícolas numa solução desinfectante de hipoclorito(lixívia doméstica) numa 0,5-1% e deixar atuar 5 a 10 minutos e enxaguar com água abundante
    4. Enxaguar novamente e abundantemente com água fria corrente
  • Confeção e empratamento da comida a temperaturas apropriadas
    • Cozinhar bem os alimentos (o alimento deve alcançar uma temperatura de 70º C durante pelo menos 3-5 minutos)
    • Ter especial atenção a: carnes mal passadas, ovos mal cozinhados, pratos com maioneses, saladas cruas, ostras e mariscos, sushi e sashimi
    • A comida quente deve ser conservada acima de 60º C até duas horas após a sua confecção. Se passarem mais de 2 horas, a comida deve ser eliminada ou aquecida até deitar vapor
    • Para provar um alimento, retirar com uma colher limpa um porção do alimento e colocar numa tijela limpa, de seguida e afastando-se do recipiente original, provar o alimento. Colocar a colher para lavar. Voltar a repetir o procedimento para nova prova
    • Os utensílios e pratos usados na preparação dos alimentos, devem ser diferentes daqueles usados para servir a comida
    • Minimize o tempo entre confecção e consumo
  • Evitar a partilha de comida ou objetos entre pessoas durante a sua preparação, confecção e consumo
  • Adoção das medidas de etiqueta respiratória
    • Quando espirrar ou tossir, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel ou usar o antebraço
    • Descartar os lenços usados
    • Se tossir ou espirrar sobre uma mesa ou bancada, limpar e desinfetar imediatamente essa superfície
    • Lavar bem as mãos após tossir e espirrar

Nas últimas publicações, abordámos as questões 2 e 3.

2. Como se pode reforçar o sistema imunitário?

Um reforço do sistema imunitário não vai prevenir o aparecimento desta doença, mas poderá ditar como vai avançar o nosso estado de saúde.
Saiba como, no artigo Reforçar o Sistema Imunitário em Isolamento.

Leia mais sobre alimentação e imunidade, nos seguintes artigos:

3. Qual a alimentação adequada para a população idosa?

Sendo a população idosa uma população em risco, quais as orientações para uma alimentação adequada nesta faixa etária? Descubra nos artigos:

 

Referências bibliográficas:

 

Marisa Gomes do Vale
Nutricionista Auchan
Membro da Ordem dos Nutricionistas nº 3066NE