Benefícios da abóbora

A abóbora, ou Curcubita pepo L. e C. maxima Duchesne, é uma planta herbácea da família das Curcubitáceas.

Originária, muito provavelmente, da América Central e México, a abóbora está disponível no mercado praticamente ao longo de todo o ano, fresca, congelada, sementes ou em compotas. No entanto, a sua época de cultivo, vai de Setembro a Maio1.

Conhecemos hoje uma grande variedade de abóboras, entre as quais, e mais conhecidas, abóbora-porqueira e abóbora-menina.

A abóbora é um fruto, que habitualmente enquadramos como hortícola.

Tem reduzido teor de hidratos de carbono, baixo aporte calórico e é rica em fibras, minerais e vitaminas. Proporciona benefícios diversos para a saúde2, nomeadamente:

  • Melhoria da função intestinal
  • Maior saciedade
  • Diminuição da absorção de gorduras
  • Melhoria da saúde ocular
  • Fortalecimento do sistema imunitário
  • Prevenção do cancro
  • Prevenção de rugas e melhoria da saúde da pele

A abóbora possui uma grande versatilidade na gastronomia portuguesa, podendo ser confeccionada de diferentes formas:

  • cozida
  • grelhada
  • assada
  • adicionada a sopas
  • em sobremesas

Delicie-se com um fantástico Risotto Vida Saudável Auchan, sugestão dos nossos Nutricionistas.

As sementes da Abóbora são também muito utilizadas como snacks, ou transformadas em farinhas e óleos. As sementes são ricas em minerais como o fósforo, potássio e magnésio e vitaminas A, B e C. Os carotenóides e vitamina E fazem da abóbora um alimento com elevado potencial antioxidante. Os teores em fibra e óleo da semente auxiliam na função intestinal, diminuição da absorção das gorduras e redução do volume da próstata. As sementes são uma fonte de triptofano, aminoácido importante para manter a qualidade do sono.

Nutricionista Andreia Ribeiro
Ordem dos Nutricionistas Nº 1044N

Referências Bibliográficas
  1. Cunha, A. Proença, Silva; Alda Ferreira; Roque, Odete Rodrigues; “ Plantas e Produtos Vegetais em Fitoterapia”, 3ª Edição, Fundação Calouste Gulbenkian
  2. Fratianni A, Albanese D, Mignogna R, Cinquanta L, Panfili G, Di Matteo M. Degradation of Carotenoids in Apricot (Prunus armeniaca L.) During Drying Process. Plant Foods for Human Nutrition. 2013; 68(3), 241–246
  3. Tabela da Composição de Alimentos. Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, 2010
PUB PUB