Tomate – Aliado para a sua imunidade

A ciência batizou-o de Solanum lycopersicum, os italianos de pomo d’oro e por cá, o conhecido tomate ocupa um lugar de distinção na nossa gastronomia. Para quem tem dúvidas se o tomate é um fruto ou um vegetal, aqui fica a resposta: o tomateiro é uma planta e o tomate o seu fruto, embora nutricionalmente seja categorizado como vegetal. Feitas as introduções, descubra porque é que o tomate é um dos reis da dieta mediterrânica.
Seja amarelo, laranja, verde ou vermelho, o tomate é maioritariamente constituído por água (95%) e por hidratos de carbono e fibras (5%). Apresenta um baixo índice glicémico, afetando pouco a resposta de insulina no sangue, baixo teor de sódio, de gordura saturada e de colesterol.

Uma das suas grandes armas é o licopeno. Este antioxidante, largamente estudado, é responsável pela proteção contra a oxidação das células, desempenhando um papel benéfico contra vários tipos de cancro. Previne, também, a oxidação lipídica exercendo um efeito protetor contra as doenças cardiovasculares. A polpa de tomate é a fonte dietética mais rica em licopeno, isto porque o processo de fabrico da polpa leva a uma perda de água que resulta numa maior concentração do antioxidante.

Mas as propriedades antioxidantes do tomate não se ficam por aqui! A vitamina C, o beta-caroteno (que se converte em vitamina A no organismo), a naringenina (um flavonoide encontrado maioritariamente na casca) e o ácido clorogénico (um composto fenólico que atua no metabolismo das gorduras e dos açúcares) tornam o tomate num alimento “super antiox”.

Apesar de não haver heróis no que toca à alimentação e de o equilíbrio e a diversidade serem a resposta numa alimentação saudável, o tomate merece um lugar de destaque nos alimentos aliados para a sua imunidade.

Tânia Miguel Soeiro, Coach da Your Challenge, Formadora e Nutricionista do Nutrihome.
Membro da Ordem dos Nutricionistas nº0588N.

PUB PUB