Revista Saúde e bem-estar: uma fralda conta muitas histórias

AE bebe fralda web | Auchan&Eu

Uma fralda conta muitas histórias. O que diz a do seu bebé?

Mudar a fralda dificilmente será a tarefa favorita de qualquer pai ou mãe.

Embora seja um momento que exige ter as narinas bem treinadas, é também um momento do ritual do bebé, em que os pais têm de manter os olhos abertos e atentos. Tem várias cores e varia com a idade do seu rebento. Isso mesmo. Vai encontrar muitos tipos diferentes de cocó ao longo do primeiro ano de vida do bebé. Com o crescimento e a introdução de novos alimentos à dieta, as fraldas que vai trocar serão testemunhos da evolução da saúde da criança.

As cores na fralda podem ter diversos significados, mas não são as únicas características das fezes do bebé que informam os pais sobre o que se passa. A textura e a consistência são igualmente importantes e falam uma língua universal: a da saúde do seu bebé. Apesar de nenhum recém-nascido vir equipado com um manual de instruções, há certas coisas que os pais podem já esperar para não serem apanhados desprevenidos.

O arco-íris infantil

Tudo começa no dia do nascimento e com o primeiro cocó do bebé: o mecónio. Este curioso termo representa uma surpresa para muitos pais de primeira viagem. O mecónio é expulso dois dias após o nascimento, devido à ingestão do primeiro leite materno, sendo que as cores variam entre o verde-escuro e o preto1.

Depois do terceiro ou quarto dia de vida, a cor das fezes assume um tom amarelo-esverdeado. Isto acontece porque o bebé nesta fase só pode ser alimentado com leite materno ou de fórmula. Quando as fezes são mais amarelas, isso significa que o leite está a movimentar-se pelo sistema digestivo muito rapidamente, o que é natural nesta fase2.

À medida que os alimentos são digeridos mais lentamente, o cocó torna-se uma mistura entre o verde, castanho e amarelo, especialmente se a criança for alimentada com fórmula. Se o verde for mais escuro, isso significa que o seu bebé está a ser introduzido aos alimentos sólidos que têm essa cor, como os espinafres e as ervilhas, ou está a tomar suplementos de ferro.

Quando a cor é sinal de alarme

As diferentes fases de introdução alimentar influenciam imenso o que o seu filho vai evacuar. Quando começa a introduzir alimentos vermelhos, é natural que o cocó seja dessa cor. Contudo, o vermelho pode também ser sinal da presença de sangue nos movimentos intestinais do bebé.

Da mesma forma, há outras cores que se surgirem na fralda indicam que algo não está bem. O branco e o cinzento, por exemplo, significam que o fígado não está a produzir bílis suficiente, essencial para ajudar as crianças a digerir bem a comida3.

Já o preto, embora seja normal nos bebés recém-nascidos, se persistir para lá dos primeiros dias de vida, também poderá ser sinal da presença de sangue no trato gastrointestinal3.

Mole ou duro – o presente envenenado na fralda

Não são só as cores que falam muitas línguas. A consistência também lhe dirá muito acerca do seu filho. Mas, primeiro, voltemos ao mecónio. Sendo o primeiro cocó que o seu filho fará na vida, não só terá uma cor única, mas também a consistência também se vai alterar com o tempo. Nos primeiros dias depois do parto, as suas fezes ganham uma forma pegajosa e consistente. À medida que é alimentado com leite, as fezes tornam-se líquidas, refletindo a sua dieta. Se não verificar esta alteração na fralda, deve informar o seu pediatra pois pode indicar que a criança não está a ingerir leite suficiente3.

Se as fezes são pretas, brancas, acinzentadas ou se for visível sangue ou muco na fralda, é preciso avisar o pediatra.

Se há uma conclusão a que os pais nesta fase já podem ter chegado é que a alimentação tem um papel fundamental no que irão ver e cheirar quando mudam a fralda. Na fase em que a criança se alimenta apenas de leite materno, o cocó é muito líquido.

Quando o bebé é alimentado com leite de fórmula, tende a ser mais firme, mas ainda assim com tendência a ser fluído. Se for mais duro e irregular, pode ser um sinal de prisão de ventre.

Durante a transição do leite para outros tipos de alimentos, como as comidas sólidas e outros líquidos, as fezes tornam-se mais consistentes e libertam odores de maior intensidade. Uma vez introduzidos os sólidos à dieta, as fezes assemelham-se às habituais de um adulto4.

Agora que sabe o que esperar, prepare as toalhitas e as pomadas.

Os filhos não nascem com manual de instruções, mas é nestes momentos que exibem os sinais que os pais precisam para descodificar o que se passa. Por isso, da próxima vez que lhe mudar a fralda, pergunte-se: O que é que isto me diz sobre a saúde do meu bebé?

Resumindo e concluindo: um guia das cores na fralda

  • Amarelo, castanho e até o verde – são os tons que pode esperar ver na fralda, mas há outros para os quais precisa de ter atenção3.
  • Preto – é a cor normal do primeiro cocó do seu bebé – o mecónio –, que é liberto nos primeiros dias de vida. Se esta cor voltar mais tarde, é sinal de alerta
  • Vermelho – se não deu de comer ao bebé alimentos vermelhos, fale com o seu pediatra, pois pode indicar a presença de sangue
  • Branco – esta cor não é normal e geralmente indica problemas com o fígado
  • Cinzento – também não é normal e pode representar complicações ao nível digestivo

Artigo realizado pela Brand Story Content da Global Media Group para a Revista “A Minha Saúde e Bem Estar” da Auchan, edição nº84, 2022

Referências bibliográficas:
  1. Ribeiro, Sani Santos (2021). Mecônio: o que é e principais características. Tua Saúde. Consultado a 11 de abril de 2022.
  2. Cleveland Clinic (2020). The Color of Baby Poop and What it Means. Consultado a 11 de abril de 2022.
  3. Cleveland Clinic (2020). The Color of Baby Poop and What it Means. Consultado a 11 de abril de 2022
  4. Armstrong, Mia & Cherney, Kristeen (2022). What Does Your Baby’s Poop Color Say About Their Health? Healthline. Consultado a 11 de abril de 2022