Dor crónica, como detetar e melhorar a qualidade de vida

AE PET cao companhia web | Auchan&Eu

Com o aumento da esperança de vida dos cães, aumentam também as condições de saúde associadas a uma maior longevidade. Nomeadamente doenças degenerativas articulares que acabam por retirar qualidade de vida pela presença de dor permanente, ou a chamada dor crónica. A artrite afeta um número significativo de cães, podendo estar relacionada com lesões, com fatores genéticos e em cães de várias raças e tamanhos.

Mas a dor crónica também pode estar presente em cães mais jovens, que tenham sofrido alguma lesão ou que tenham patologias associadas ao desenvolvimento, como displasia da anca ou cotovelo. Seja qual for a idade, a dor crónica é um dos principais fatores para a redução de qualidade de vida e, apesar de poder ser originada por condições que não têm tratamento, pode ser gerida e aliviada. Mas antes é preciso ser detetada.

Os cães são mestres a esconder a dor, podendo demonstrar apenas alguns sinais físicos ou comportamentais. Resta-nos conhecê-los e estar atentos.

Sinais de dor crónica em cães

  • Coxear
  • Menor disposição para saltar ou subir e descer escadas
  • Menos ativo
  • Rigidez
  • Mais lento a seguir a acordar

Caso identifique algum destes sinais no seu cão, de forma continuada, fale com o seu médico veterinário. Muitas condições que causam dor crónica não têm cura, mas a dor pode ser gerida, para maior conforto e qualidade de vida do cão. Afinal, queremos que eles estejam connosco por muitos anos, com saúde e alegria.

Conselhos da equipa do Centro Veterinário MyVet