Como parar a destruição em casa?

Como parar a destruição em casa?

A destruição em casa é dos assuntos mais desesperantes para muitos donos. Basicamente, mordemos objetos por dois motivos: aliviar a ansiedade e o desconforto físico. Em circunstâncias normais, logo após o nascimento, a primeira coisa que nos inquieta é a fome, que é prontamente saciada ao beber leite. Desde então, aprendemos a usar a boca como válvula de escape para a ansiedade gerada pela frustração, conflito ou insegurança.

Novas regras numa família humana

Quando somos integrados numa família humana, passa a ser função dos donos dar-nos novas regras e quais as válvulas de escape para ansiedade que serão aceites. Neste período, também ocorre a troca de dentes, o que intensifica o comportamento de mordedura para aliviar o desconforto na gengiva. Uma valiosa dica é ter, pelo menos, dois brinquedinhos de morder, deixando um à nossa disposição e outro no congelador. O brinquedo frio ajuda a aliviar o desconforto causado pela troca de dentes.

Prevenção é o melhor remédio

Tirar os objetos pequenos do nosso alcance, da mesma forma que se cobrem tomadas, trancam gavetas e tiram facas e produtos de limpeza do alcance dos bebés humanos. A melhor maneira de nos proteger e cuidar dos objetos é não deixar que se crie o hábito de morder.
Proteger os cantos dos móveis e pés de cadeiras e mesas dos dentinhos significa proteger-nos de farpas, vidros e outras coisas que se podem soltar e perfurar o nosso estômago. Uma alternativa é passar um repelente de gosto amargo para evitar que se ganhe o gosto pelas mordidelas nos móveis. Estes sprays repelentes devem ser reforçados diariamente no local.

Brinquedos de morder

Para não ficarmos sem válvula de escape para a ansiedade, precisamos de brinquedos de morder. Mas também é importante sermos levados a passear diariamente e, de preferência, várias vezes ao dia. Isso irá evitar que a ansiedade se acumule, diminuindo a mordedura.

Chamar a atenção de forma adequada

Se formos apanhados a roer um móvel ou objeto, os donos devem chamar-nos à atenção com um tom alto. Quando nos afastarmos, devem oferecer-nos um brinquedo para roer. Tal como os bebés humanos, não nascemos ensinados e pode ser preciso aos donos repetirem este procedimento várias vezes até que aprendamos.