Saúde Mental: Quando e onde procurar ajuda?

AE VS saude mental web | Auchan&Eu

Porquê responder a esta pergunta? Qual a importância? O facto é que hoje em dia cada vez mais ouvimos falar da importância de cuidar da saúde mental. Mas afinal, o que é saúde mental?

O dia Saúde Mental comemora-se no dia 10 de Outubro. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), “A saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não consiste apenas na ausência de doença ou de enfermidade”. Não há saúde sem saúde mental, a saúde física e a saúde mental estão interligados. Esta depende dos gostos e características de cada um. Todos somos diferentes. Dentro da mesma pessoa temos aspectos mais saudáveis e outros menos saudáveis. A saúde mental varia ao longo da vida, sendo essencial ter em conta aspectos essenciais ao seu equilíbrio. O exercício físico, a alimentação adequada, o sono, a capacidade de adaptação e os relacionamentos interpessoais são aspectos a ter sempre em conta. O desafio é cada um de nós encontrar o equilíbrio, estando atentos aos sinais de alarme.

O conhecimento acerca dos problemas psicológicos tem aumentado, mas o mesmo não se verifica com o tipo de resposta e os tratamentos existentes. Qualquer um de nós, em qualquer momento da nossa vida, pode ter um problema de saúde mental. O que se sabe é que 24% a 25% das pessoas têm ao longo da vida uma perturbação mental. Uma em cada quatro poderá sofrer de ansiedade e uma em cada cinco de depressão. O aparecimento de sinais de alarme não é sinónimo de doença mental e sim da necessidade de sermos avaliados por um profissional com competências na área da saúde mental. É essencial valorizarmos esses sinais e não ficar à espera que passem ou com vergonha em pedir apoio psicológico, sendo este um dos maiores entraves à boa saúde mental.

É essencial encararmos os problemas de saúde mental de forma idêntica às doenças físicas. Ambos têm causas concretas e exigem cuidados e tratamentos que possibilitem a recuperação e o regresso à vida normal. Ao longo da vida, todos passamos situações emocionais relevantes e muitas vezes é o corpo quem dá o primeiro sinal. Nem sempre é fácil interpretar estes avisos. Uma alteração emocional pode manifestar-se através de vários sintomas, nomeadamente físicos, como diarreia, transpiração, cansaço e problemas de pele. Também há comportamentos e sintomas que interferem no quotidiano que podem revelar perturbações mentais como a sensação de não pertencer a nenhum lugar (não se sentir integrado na sociedade), desinteresse pelas coisas que se gostava de fazer, desinteresse pelas coisas que se gostava de fazer, dificuldades de relacionamento, traumas, tristeza, angústia, medo, dúvida. Na maioria dos casos os problemas psicológicos manifestam-se de forma gradual e silenciosa, ao ponto de a pessoa não assumir que tem um problema para resolver, sendo, muitas vezes, pessoas externas a valorizarem esses sinais. Mas o que devemos fazer? Onde podemos procurar ajuda?

Quando sentimos que os sinais de alarme estão presentes durante algum tempo e não estamos a conseguir minimizar o seu impacto porque não procurar ajuda de um profissional?

É importante fazer esta reflexão para que saibamos quais os serviços que temos ao nosso dispor e como podemos usufruir dos mesmos, da melhor maneira. Por vezes sentimos necessidade de falar com alguém e não sabemos por onde começar ou onde nos dirigirmos. O Sistema Nacional de Saúde tem essa resposta nos Centros de Saúde, através da consulta com o médico de família, que avalia a situação e encaminha para consultas e Psicologia e de Psiquiatria, dependendo da necessidade. Também existe o serviço de aconselhamento psicológico que está integrado na linha telefónica do SNS 24, através do 808 24 24 24. Existem outras linhas que podemos utilizar para nos sentirmos acompanhados e compreendidos (1). Também podemos optar por consultar directamente um Psicólogo ou um Psiquiatra, a nível particular, existindo respostas ao nível dos seguros de saúde. Estarmos informados é essencial para tomarmos decisões conscientes. A ManifestaMente tem um curso online, Kit Básico de Saúde Mental , com várias informações essenciais, de uma forma clara e divertida (2).

Com ou sem uma patologia associada, há cada vez mais pessoas a procurar apoio psicológico para se sentirem bem consigo mesmas, para lidar com o stress diário ou simplesmente para ultrapassar de forma mais eficaz uma mudança no rumo da sua vida. Pedir ajuda não é um sinal de fraqueza, pelo contrário, é sinal de maturidade e responsabilidade. Vamos cuidar da nossa saúde, física e emocional. 

(1) Linhas de Apoio: 

Centro SOS Voz Amiga 
16h às 24h – 21 354 45 45 / 912 802 669 / 963 524 660 

Linha SOS Palavra Amiga 
21h às 01h – 231 42 42 82 

Conversa Amiga
15h às 22h – 808 237 327 / 210 027 159 

Linha de Apoio Psicológico para a ULisboa 
Segunda a Sábado, das 10h às 18h – 210 443 599 

Vozes amigas de esperança de Portugal 
16:00 – 22:00 – 222 030 707 

Telefone da amizade 
16:00 – 23:00 – 222 080 707 

Voz de apoio 
21:00 – 24:00 – 225 506 070; Email: sos@vozdeapoio.pt 

Linha “Liga-te” 
Serviço de apoio psicológico da Câmara Municipal de Lisboa
24 horas por dia, sete dias por semana – 800 916 800 

Vira(l) Solidariedade
Rede de apoio psicológico da Sociedade Portuguesa de Psicanálise para a população em geral.
Serviço de chamadas gratuitas com atendimento diário (incluindo sábado e domingo) – 300 051 920 

Fundação São João de Deus 
Linha de apoio psicológico gratuito de âmbito nacional – (+351) 924 101 462 / 961 962 828 / 967 072 421 

(2) ManifestaMente 

Screenshot 2022 09 15 at 12.12.04 1 | Auchan&Eu