Pitaya, exótica e nutritiva

Pitaya, exótica e nutritiva. Descubra este fruto!

Pitaya, Pitahaya ou Fruta do Dragão, como também é conhecida, é um dos frutos exóticos mais rico em nutrientes, sendo bastante apreciado pela população asiática. De acordo com registos astecas, crê-se que a sua origem seja a América Central, remontando ao século XIII.

Exteriormente, apresenta-se como um fruto de cor, forma e flores apelativas.

Interiormente, as suas pequenas sementes pretas, englobadas na polpa, também são comestíveis e podem ser plantadas para originar novos frutos.

Normalmente, as três variedades mais comuns, cultivadas para fins comerciais, são:

  • pele vermelha e polpa vermelha
  • pele amarela e polpa branca
  • pele vermelha e polpa branca

As diferentes espécies de pitaya podem ser encontradas nos seguintes países:

  • Vietname
  • Malásia
  • Taiwan
  • Vietname
  • Israel
  • América Central

Ao contrário de grande parte das plantas, cuja polinização é concretizada de dia pelas abelhas, a pitaya floresce à noite.

A sua polinização é feita por animais noturnos tais como morcegos e borboletas.

Estudos recentes indicam que pessoas com excesso de peso, que consomem pitaya regularmente, conseguem regular melhor o peso. Por exemplo, em Taiwan, a pitaya é consumida por pessoas com diabetes, como substituta do arroz e para elevar o conteúdo em fibra da dieta. Para além da fibra, a pitaya tem, na sua constituição, vitamina C, minerais (como o cálcio e o fósforo) e fitoalbumina. Possui também caroteno, proteína, vitamina B1, vitamina B2 e vitamina B3.

Pode ser consumida seca ou fresca, como sobremesa ou em cocktails, através da utilização do seu sumo.

É usada industrialmente em sumos e na produção de vinho e aromas. A pitaya fresca contém grande quantidade de água e, por isso, apresenta uma textura cremosa suave. Pelo contrário, a pitaya seca tem uma textura mais “mastigável”. Escolher pitaya no momento da compra é bastante simples: opte por peças encorpadas, de cores vivas e sem manchas.

Se a pitaya for consumida fresca (refrigerada ou gelada), a pele tem de ser descascada. Também pode ser fatiada, misturada num smoothie, misturada com lima ou limão ou, ainda, ser acrescentada a uma salada de frutas. No frigorífico, sem ter sido lavada, resiste até 5 dias.

Mariana Lopes, Nutricionista Jumbo
Membro da Ordem dos Nutricionistas nº2471N

 

PUB PUB