Funcho, aquele “toque” muito especial

O funcho (Foeniculum vulgare) é uma planta herbácea da família das umbelíferas sendo uma espécie aromática típica do Mediterrâneo, designadamente da Península Ibérica. Esta espécie é utilizada desde o antigo Egipto e é muito conhecida pelos povos mediterrâneos sobretudo gregos, espanhóis e italianos que a introduziram na Europa central na Idade Média para fins medicinal e culinário. Relativamente aos fins medicinais, o funcho é usado, deste a antiguidade, pelas suas propriedades digestivas, calmantes, diuréticas e galactógenas (que estimula a produção de leite em lactantes), entre outras.
Na culinária, as partes mais utilizadas são as aéreas que possuem uma fragrância anisada e um sabor picante característico, resultantes da presença do composto anetol. Aproveitam-se tanto as folhas com o bolbo e a sua utilização em Portugal é muito recente.

Composição Nutricional

O funcho (bolbo) é fonte de fibra, vitamina C e potássio e tem alto teor de vitamina K (84% da dose de referência), vitamina esta importante para a normal coagulação do sangue e na formação de ossos e dentes saudáveis. Fornece ainda 14% da dose de referência para vitamina 9 ou folato que contribui para o normal metabolismo do sistema imunitário, redução do cansaço e fadiga e fundamental no bom desenvolvimento do feto durante a gravidez. O funcho tem ainda na sua composição, flavonóides como a rutina que possui propriedades antioxidantes, auxiliando o organismo a neutralizar radicais livres.

Importa salientar que nesta espécie de funcho é reconhecida a sua toxidade. Os frutos e o óleo essencial, devido à sua composição em etanol e estragol, se ingeridos em grande quantidade têm efeito tóxico podendo originar problemas respiratórios, alucinações, convulsões e arritmia.

Como usar o Funcho na culinária

Pode ingeri-lo cozido em água ou num caldo, assado e estufado. As folhas finamente picadas podem juntar-se nas saladas, pratos de peixe ou carnes gordas, sopas, molhos, porém o seu sabor não combina bem com os coentros ou outras aromáticas e não convém misturá-los. As sementes podem utilizar-se nos pratos de couves pois melhoram o seu sabor, e também ser adicionadas ao queijo amanteigado ou à manteiga. O funcho é muito utilizado ainda no fabrico de pão e na confecção de doçaria e licores, adiciona-se ao vinho moscatel para lhe conferir mais sabor.
Veja aqui a nossa sugestão de receitas com funcho:

Arroz de abóbora, funcho e grão de bico
Sopa de funcho com brócolos e pão integral torrado

Referências bibliográficas:
  1. Cunha, A. P., Silva, A. P. & Roque, O. R. 2003. Plantas e produtos vegetais em fitoterapia. Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa.
  2. Muñoz, F. 2000. Plantas medicinales y aromáticas. Estúdio, cultivo y procesado. Ediciones Mundi-Prensa. Madrid. Thompson, J. 1998. Population diffren
  3. https://www.nutri-facts.org/en_US/nutrients.html
  4. http://www.saude.gov.br/images/pdf/2017/setembro/11/Monografia-Funcho.pdf

 

Marisa Gomes do Vale
Nutricionista Auchan
Membro da Ordem dos Nutricionistas nº 3066NE

PUB PUB