Alperce – Dê as boas-vindas ao Verão

Alperce – Dê as boas-vindas ao Verão

O alperce (Prunus armeniaca L.), também designado de damasco, pertence à família Rosaceae e é originário da Ásia Central e China1. É um fruto característico do verão e, dependendo das regiões e variedades, começa a florescer geralmente em meados de março.

O número de flores depende de fatores ambientais e genéticos, e das reservas de nutrientes, que foram acumuladas durante a estação anterior. A cor dos frutos maduros varia de amarelo a dourado, e de laranja a vermelho, e a razão entre a polpa do fruto e a semente é um importante fator determinante da qualidade e maturação dos frutos2.

O alperce é uma das culturas mais importantes da região do Mediterrâneo3 (principalmente Turquia, Espanha, Itália e França)4 sendo, atualmente, consumido em todo o mundo.

É uma importante fonte nutricional de fibras, compostos fenólicos, carotenoides e vitamina C3.

Sendo, ainda, fonte de vitamina A, potássio e ácido fólico4. O principal pigmento do alperce é o betacaroteno (principal precursor da vitamina A), constituindo cerca de 50% do seu conteúdo em carotenoides. Os carotenoides são responsáveis pela cor de diversas frutas e verduras, para os quais têm sido relatados benefícios para a saúde. Nomeadamente, atividade antioxidante e proteção contra o stress oxidativo. Com um contributo positivo ao nível de doenças da pele, doenças cardiovasculares, diversos tipos de cancro e doenças degenerativas oculares5.

A conservação do alperce é um desafio.

Uma vez que possui um período limitado de armazenamento (cerca de 2 semanas), durante o qual a fruta perde rapidamente a sua agradável cor laranja e se torna acastanhada3. Isto deve-se a uma alta taxa de respiração e a um processo de amadurecimento rápidos5. Neste sentido, foram desenvolvidos diferentes métodos de conservação, incluindo conserva, congelamento e secagem.

No entanto, o processamento pode alterar a sua composição em nutrientes.

A concentração em nutrientes tende a diminuir pós-colheita durante o manuseio, armazenamento, processamento e preparação do consumidor4. Deste modo, as propriedades do alperce variam em função das variedades, sistemas de cultivo, condições de armazenamento e grau de desenvolvimento.

Para além das propriedades da parte edível do fruto, o óleo da semente pode ser usado em cosméticos e misturas medicinais. Como fonte de tocoferóis, fitoesteróis e ácidos gordos. Extratos da semente também parecem ter efeitos anti-inflamatórios e podem melhorar distúrbios intestinais, como a colite ulcerosa2.

Na altura de escolher os alperces, opte por aqueles que:

  • cedam ligeiramente ao toque
  • libertem um aroma suave
  • apresentem uma cor viva e sem manchas acastanhadas ou amolgadelas na casca

Lembre-se que este fruto amadurece depressa, pelo que deve ter atenção ao seu tempo de consumo. Para que se conserve por mais tempo, poderá mantê-los no frigorífico. O alperce pode ser utilizado em compotas ou sobremesas, ou até mesmo ser utilizado fresco em saladas, para adicionar um toque de frescura e doçura ao seu Verão. Experimente!

Referências bibliográficas:
  1. Prunus armeniaca. Jardim Botânico utad. 2019
  2. Moustafa K, Cross J. Production, pomological and nutraceutical properties of apricot. J Food Sci Technol. 2019; Jan;56(1):12-23
  3. Derardja AE, Pretzler M, Kampatsikas I, Barkat M, Rompel A. Purification and Characterization of Latent Polyphenol Oxidase from Apricot (Prunus armeniaca L.). J Agric Food Chem. 2017;65(37):8203–8212
  4. Jiménez AM, Martínez-Tomé M, Egea I, Romojaro F, Murcia MA. Effect of industrial processing and storage on antioxidant activity of apricot (Prunus armeniaca v. bulida). European Food Research and Technology. 2007; 227(1), 125–134
  5. Fratianni A, Albanese D, Mignogna R, Cinquanta L, Panfili G, Di Matteo M. Degradation of Carotenoids in Apricot (Prunus armeniaca L.) During Drying Process. Plant Foods for Human Nutrition. 2013; 68(3), 241–246

Dalila Abreu
Nutricionista Estagiária Jumbo
Membro da Ordem dos Nutricionistas nº 2691NE

PUB PUB