Escritórios em casa: como organizar o espaço

Devido ao contexto atual de pandemia, muitos portugueses vêem-se obrigados a trabalhar ou a estudar a partir de casa. Se o tele-trabalho era uma ferramenta pouco utilizada em Portugal, comparativamente a outros países europeus, isso vai mudar durante os próximos tempos.

No entanto, esta transição para o trabalho, a partir de casa, foi abrupta. E não houve tempo suficiente, para quem não estava habituado, para conseguir montar o “cenário” mais favorável. Nada como ter a experiência, durante uns dias, para identificar o que funciona e o que deve ser mudado, em benefício da saúde física, da produtividade e mesmo da saúde mental.

O desafio torna-se maior quanto maior for a família e o rácio entre espaço da casa e número de pessoas.

Como manter os filhos num local pacífico a ter aulas, ao mesmo tempo que os pais lidam com reuniões online, emails e telefonemas? E para além do trabalho, como encontrar hora e local para a descontração, para equilibrar e retemperar energias?

Aqui ficam algumas dicas para considerar no ambiente misto de casa e trabalho

Estão divididas em duas partes: uma de organização e distribuição do espaço e outra relativa a truques e rotinas para manter o equilíbrio.

Rentabilizar o espaço

Alguns objetos e tecnologias vão ser uma grande ajuda e tornar-se-ão quase obrigatórios. Se cada um tiver a sua secretária, o seu computador ou tablet com ligação à internet e uns auscultadores, simplifica em muito a organização do trabalho em casa. Pondere investir em boas cadeiras de escritório. Quando se tem que trabalhar oito horas num ambiente que não está preparado para isso, a coluna e a postura em geral são as primeiras a sofrer, e ninguém merece trabalhar com dores.

Se há mais que um adulto a trabalhar em casa, cada um deverá ter o seu espaço próprio.

Se há uma divisão dedicada ao escritório, procure rearranjá-la de forma a multiplicar o número de postos de trabalho. O ideal é ter uma secretária por pessoa, e se necessário uma barreira física, como uma estante ou um biombo, a separar as áreas de trabalho.

Quanto mais horas de trabalho houver, melhor e mais ergonómico terá que ser o posto de trabalho.

Há muitas pessoas que, na realidade, trabalham mais se estiverem ligadas a partir de casa do que se estivessem no escritório fisicamente. Procure ter um bom apoio nas costas, os pés bem assentes no chão ou numa pilha de livros e o ecrã do computador à altura dos olhos.

portátil não é o melhor amigo de quem trabalha muitas horas, uma vez que torna quase impossível ter, em simultâneo, uma boa posição para os ombros e para a cervical. Se puder, utilize um ecrã ou um teclado e rato à parte, para que o corpo se adapte melhor ao novo local.

O ângulo entre o tronco e as coxas deverá ser maior que 90 graus, ou seja, com os joelhos ligeiramente abaixo das ancas. Se necessário, coloque uma pequena altura no fundo do assento para fazer este declive.

Se tem crianças ou jovens em casa, cada um deverá ter o seu local de trabalho.

Nele, poderão ter aulas online e condições para fazer os trabalhos da escola ou da faculdade. Como normalmente trabalham no seu quarto, tente ajudar a separar bem os ambientes de estudo e descanso, para não criar uma sensação de se estar na sala de aula todo o dia.

Se não há um escritório ou se não é possível cada membro ter o seu espaço de trabalho

Adapte uma das outras mesas da casa para esse efeito, na sala de jantar ou na cozinha. Mas atenção, tente fazer com que o trabalho não “inunde” esses espaços de convívio. Portanto, quem trabalhar nesses espaços deverá manter tudo arrumado e “transportável” para quando a família se quiser reunir e conviver, sem deveres à vista. Dá mais trabalho, mas favorece um melhor equilíbrio entre atividades.

Para quem se pode dar ao luxo de dispor de mais que uma divisão para trabalhar, pode fazer por mudar de ambiente e postura conforme a tarefa.

Por exemplo, ter um local para trabalhar à secretária, e uma sala de reuniões improvisada noutro ponto da casa. Na postura e no risco de monotonia, o segredo é mudar frequentemente de sítio e posição na casa. As dores e lesões ocupacionais aparecem por excesso de tempo na mesma posição portanto, quanto mais variar – e se possível, quanto mais vezes se puder levantar e deslocar mesmo dentro de casa – melhor.

Se tem a sorte de ter uma varanda, procure mudar algumas das suas atividades para lá, quando o dia o permitir. Apanhar um pouco de sol e de ar fresco pode fazer maravilhas.

Teresa Fernandes, Fisioterapeuta
Instrutora de Yoga Suspenso, Gyrotonic e Gyrokinesis (aplicação na perda de mobilidade, prevenção de problemas músculo-esqueléticos, pré e pós-parto)