Como reduzir os plásticos de uso único nas rotinas de higiene

O plástico surgiu como uma alternativa leve e económica a outros materiais. Revolucionou muitas indústrias e possibilitou a disseminação de produtos, que nos vieram facilitar a vida. No entanto, é nos excessos que reside o problema. Há um exagero na sua produção, é encarado como descartável e, por isso, geram-se milhões de toneladas de lixo impossível de processar ou reciclar de forma eficiente.

O desafio ambiental que se impõe é tornar o uso do plástico racional e sustentável.

Para isso, é importante pensar que o passo essencial não é a sua substituição imediata por outros materiais, como o cartão. Isso criaria outro problema, sem resolver o primeiro. Há que repensar a rotina diária e o uso que se dá ao plástico, sobretudo aos produtos descartáveis. Racionalizar o uso do plástico pode fazer a diferença. Ao nível do desperdício, mas sobretudo na educação e na consciencialização da família e da sociedade para um consumo mais sustentável e amigo do ambiente.

A beleza e higiene – corporal e da casa – são áreas que implicam muitos produtos. E, por isso, uma enorme quantidade de plástico.

Conheça algumas dicas para reduzir o plástico de uso único nestas duas vertentes.

Simplifique as rotinas

Procure resistir à lógica que atribui a cada tarefa o seu produto. Muitas vezes uma solução universal – de limpeza da casa ou de hidratação do corpo, por exemplo – cobre quase todas as necessidades.

Não desperdice e faça por usar tudo o que já tem em casa, até ao final

Aproveite os frascos até ao fim e ponha a uso todos os produtos. que estão a tentar envelhecer com dignidade no fundo do armário. Se não são os seus preferidos, basta não os substituir.

Procure soluções feitas em casa com dois ou três ingredientes, numa embalagem reutilizada

Caso essa não seja a sua vocação, opte pelo tamanho maior disponível dos produtos que mais gasta. Mesmo que tenha que os decantar para um frasquinho, para serem mais práticos de usar. E privilegie produtos não embalados em plástico.

Procure alternativas sem embalagem ou embaladas em cartão ou vidro

Há muitas alternativas em barra ou embaladas em cartão ou vidro, mais facilmente recicláveis. Mesmo dentro do plástico, há marcas que usam plástico tirados dos oceanos para fazer as suas embalagens, ou plástico reciclado. Outras ainda aceitam embalagens vazias para reciclar, e até dão pequenos mimos em troca. Premeie estas marcas, que tentam fazer algo pelo ambiente.

É verdade que algumas das opções sem plástico são mais caras a curto prazo. Mas pense no dinheiro que poupará, em poucos meses, só ao reduzir o que compra para deitar fora. Esta poupança, associada à que consegue gastando o que tem em casa e simplificando a rotina, compensam em muito os investimentos pontuais em alternativas livres de plástico.

Conheça ainda as nossas dicas para reduzir os plásticos nos artigos de higiene pessoal e beleza e da casa.

Deixo duas sugestões de leitura para se inspirar:

Teresa Fernandes, Fisioterapeuta
Instrutora de Yoga Suspenso, Gyrotonic e Gyrokinesis (aplicação na perda de mobilidade, prevenção de problemas músculo-esqueléticos, pré e pós-parto)

PUB PUB