Ambientes Yin e Yang com a iluminação certa

AE VS Yin yang web4 | Auchan&Eu

Num dos pilares da cultura oriental, o Taoísmo, defende-se que o Todo, ou a unidade do Universo, foi dividido em duas metades complementares, yin e yang. A sua ligação é bem visível no conhecido símbolo negro e branco do Tao. Mas, ao contrário do que acontece na cultura ocidental, yin e yang não são conceitos opostos, como o bem e o mal. Mas antes duas faces complementares do Todo. Nunca estão sozinhas, mas sim em equilíbrio e interação.

Yin e Yang

Os conceitos de yin e yang não são, de todo simples. E podem ser aplicados com significados aparentemente distintos em várias vertentes. No entanto, há uma perceção mais intuitiva, relacionada com cada um deles, a que todos nós conseguimos aceder e já experimentámos, em algum momento.

O Yang está associado à energia mais exuberante, ativa, extrovertida e movimentada.

Corresponde a um ambiente animado, que incentiva à socialização, ao convívio, à partilha e à alegria. Em geral, encontra-se associado à energia masculina, ao dia, ao sol, às estações e cores quentes.

Yin tem uma conotação mais intimista, mais recolhida e introspetiva.

Um ambiente yin é calmo, pacífico, convidativo ao estudo, reflexão e meditação. É mais silencioso e escuro. O conceito yin aplica-se ao feminino, à noite, à lua, às estações e às cores frias.

Mas, tal como se vê no símbolo do Taoísmo, Yin e Yang não são mutuamente exclusivos. Podem, e devem existir em simultâneo e complementar-se. Para que as pessoas, os ambientes e a vida gravitem em torno de um ponto de equilíbrio.

A sua casa é dinâmica, cheia de vida e atividade? Aí poderá fazer sentido uma entrada mais yang, mais iluminada e com cores mais vivas, para aqueles que chegam renovarem a energia produtiva para as atividades caseiras.

Se, pelo contrário, a sua casa é o refúgio da grande agitação dos dias, pode fazer sentido uma entrada mais yin, que marque a transição para o recolhimento. Uma luz mais suave e uma pequena vela acesa, quando há gente em casa, dão o mote para uma entrada descontraída.

Aqui ficam algumas sugestões para pensar a iluminação da sua casa à luz destes conceitos

E para poder tirar melhor partido de cada divisão.

Hall de entrada

Esta é a primeira divisão da casa a ser vista por todos os que entram, e deverá dar o tom ao ambiente geral da casa.

A sua casa é dinâmica, cheia de vida e atividade?

Yin yang hall 1 | Auchan&Eu

Aí poderá fazer sentido uma entrada mais yang, mais iluminada e com cores mais vivas, para aqueles que chegam renovarem a energia produtiva para as atividades caseiras.

Se, pelo contrário, a sua casa é o seu refúgio da grande agitação dos dias, pode fazer sentido uma entrada mais yin, que marque a transição para o recolhimento. Uma luz mais suave e uma pequena vela acesa quando há gente em casa dão o mote para uma entrada descontraída.

Yin yang sala estar | Auchan&Eu

Sala

A sala de estar é das divisões mais versáteis de uma casa. É um local de convívio por excelência, beneficiando de um ambiente yang. Uma luz mais viva – mas não branca como um bloco operatório – convida ao convívio, da família ou amigos, e a atividades dinâmicas, desde jogos a conversas animadas.

Vários pontos de luz, em vez de um, podem aligeirar o efeito de uma luz de teto direta, e também podem servir para transformar o ambiente de acordo com o contexto.

Para jogar um jogo de tabuleiro, brincar ou receber amigos – Uma luz mais forte e dirigida para o centro da sala é uma boa aposta
Para atividades mais Yin, como ler um livro, ver televisão, estudar, meditar ou simplesmente descansar um pouco – Ter candeeiros em pontos estratégicos, como junto ao sofá ou num dos cantos da sala
Este é um local onde uma ou mais velas podem criar um ambiente zen e yin. O final da tarde e o início da noite são excelentes alturas para deixar a sala apenas com umas velas acesas e meditar um pouco e descansar. Ou simplesmente pensar um pouco sobre o dia que passou.

Nem sempre é possível usar velas em casa. Há que tomar as precauções necessárias, caso tenha crianças pequenas ou animais, que as possam derrubar. Para além disso, procure não se esquecer de velas acesas quando sai de casa.

Sala de jantar

Esta divisão é a divisão yang da casa por excelência. O ideal é que haja um bom candeeiro sobre a mesa – ninguém quer tirar espinhas ao peixe às escuras – mas o ambiente pode ser composto com velas. Estas, como iluminação única, criam ainda um ambiente mais intimista, interessante para um jantar a dois, por exemplo.

Yin yang sala jantar2 | Auchan&Eu

É importante mencionar que há casas em que a tendência é não usar a sala de jantar, por ser mais prático reunir a família na sala de estar. No entanto, é uma pena que esta divisão não seja vivida, até porque tem uma disposição diferente da sala de estar, mesmo que seja contígua. Este ambiente reúne todos à mesma mesa, para partilhar uma refeição, o que superficialmente parece banal. Mas que, na realidade, é um ato de partilha em mais do que um sentido. De uma maneira ou de outra, há muitos séculos que os humanos se reúnem a partilhar refeições, beneficiando da energia que este momento lhes traz ao corpo e à alma.

Yin yang escritorio | Auchan&Eu

Escritório

O escritório de uma casa pode ter o seu próprio espaço ou pedi-lo “emprestado” a outra divisão. Mas dado que se presta a atividades com maior concentração, é importante dispor de um ponto de luz mais direta. Aqui é dos poucos sítios em que luz branca pode ser aplicável.

Dependendo da atividade, pode fazer sentido um escritório mais yin ou mais yang. Uma atividade criativa expansiva ou que envolve mais interação, com outras pessoas, beneficia de um ambiente yang. Enquanto uma atividade mais reflexiva, como a escrita, beneficia de um escritório mais yin.

A iluminação é a forma mais instantânea de criar estes ambientes, sobretudo dentro do mesmo espaço.

Quarto

O quarto é uma divisão yin na maior parte do tempo. É aqui que se encontra descanso, no final de um longo dia, portanto o ambiente deverá ser suave e calmo. Como no equilíbrio é que está o segredo, ter iluminação de cores quentes – normalmente yang – nesta divisão complementa a energia yin.

Yin yang sala quarto2 | Auchan&Eu

Luz branca está proibida, a não ser que goste de ler na cama e veja mal se a luz for ténue, caso em que um bom candeeiro de leitura fará a diferença.

Se gosta de cristais e acredita nas suas influências positivas no ambiente, pode usar candeeiros de selenite nas mesas de cabeceira. Estes dão uma luz suave, e a selenite é associada à harmonia e boa energia das divisões da casa.

Os quartos das crianças e adolescentes, por serem mais polivalentes, podem precisar de vários ambientes em termos de iluminação, à semelhança do que acontece com a sala de estar. O quarto de um jovem é ao mesmo tempo o seu local de descanso, de trabalho de casa e o seu espaço pessoal – e por vezes mesmo esse é dividido com irmãos – na casa.

O ambiente, através do uso da luz, deve servir as várias atividades no quarto, proporcionando um ambiente yin ou yang conforme a ocasião.

Yin yang wc | Auchan&Eu

Casa de banho

É difícil haver divisão mais yin que esta, embora encontrar a luz certa aqui seja um desafio. Apesar de ser essencialmente prática, a casa de banho pode ser transformada num pequeno SPA caseiro, com direito às omnipresentes velas.

A luz deve ser intensa o suficiente para se ver bem, mas sem ser demasiado forte, a bem da autoestima de todas as pessoas da casa. Convém ter uma opção mais luminosa, junto ao espelho, para as atividades que exigem luz, como a maquilhagem.

É também boa ideia ter uma versão parcial da luz, central ou num pequeno candeeiro, para usar durante a noite e evitar a sensação de se estar sob uma lâmina de microscópio às três da manhã.

Cozinha

Os vários trabalhos que se fazem na cozinha exigem luz mais intensa e focada. Vários pontos de luz ajudam a controlar o equilíbrio yin e yang da divisão, que é muitas vezes o centro de operações de uma casa e um espaço informal de reunião familiar.

Yin yang cozinha | Auchan&Eu

Aqui importa ver que atividades são levadas a cabo e onde, para ter luz adequada. Deve haver um candeeiro de teto relativamente forte, ajudado por luzes localizadas diretamente sobre uma ou mais bancadas.

Se houver uma mesa na cozinha, deverá haver um candeeiro de teto sobre esta, com luz mais suave se for para refeições ou mais intensa se a mesa funcionar como mais uma bancada ou um escritório informal.

Também aqui faz sentido ter uma versão noturna, mais ténue, de iluminação, visto que as visitas madrugadoras à cozinha acontecem em muitas casas.

A iluminação como criadora de ambientes

Em geral, há que viver e analisar os ambientes da casa, bem como o propósito das divisões antes de decidir definitivamente o esquema de iluminação de cada uma.

Nunca se deve esquecer do principal elemento luminoso numa casa. O sol.

A luz natural energiza as divisões, e tem o seu próprio humor yin e yang conforme os dias, a altura do dia e a estação do ano. Adapte a quebra de luz solar em cada divisão, jogando com o material e cor das cortinas e se possível, com as próprias janelas e portadas.

Outra solução fácil e muito versátil é instalar um reóstato, que permite regular a intensidade da luz de uma forma muito simples e direta. É um bom primeiro passo em iluminação, sobretudo naquelas divisões que servem mais que um propósito. Depois, é só ir acrescentando e regulando os diferentes pontos de luz, jogando com a energia das pessoas e locais nas diversas ocasiões.

Experimente ver a sua casa por este prisma e divirta-se a experimentar.

Yin yang final solar | Auchan&Eu

Teresa Fernandes, Fisioterapeuta
Instrutora de Yoga Suspenso, Gyrotonic e Gyrokinesis (aplicação na perda de mobilidade, prevenção de problemas músculo-esqueléticos, pré e pós-parto)