Exercício com crianças no jardim

O tempo é de regresso às atividades letivas, mas há boas razões para levar um pouco das férias para o tempo livre de crianças e pais. Reduz o stress, reforça a relação, cria momentos de alívio da tensão do dia e é um momento de criatividade e alegria, um oásis para todos no regresso à rotina. Aproveite para brincar mais, interagir com os pequenos e fazer um pouco de exercício.

Enquanto o tempo ainda está convidativo, desfrute dos parques e jardins públicos que tem perto de casa. Pode também fazer desse um programa de fim de tarde, ou fim de semana, e leve as crianças a um parque maior, que ofereça mais atrações para todos.

Inspire-se no espírito curioso e ativo das crianças. Deixe-se contagiar. Diz-se que deixamos de ser crianças quando deixamos de correr por tudo e por nada. O nosso correr é mais metafórico, entre compromissos e papeis sociais. Está na altura de experimentar a vida pelos olhos de uma criança, que corre entre brincadeiras, para os amigos e para o colo dos pais. Saia do banquinho e exercite-se com eles.

Aqui ficam algumas sugestões para aproveitar uns momentos num parque ou jardim e fazer algum exercício.

Todas as atividades devem ser feitas com responsabilidade e em cumprimento pelas normas da Direção Geral de Saúde, em vigor no momento.

Jogos tradicionais

Faça uma viagem no tempo. Com que é que se divertia no recreio da escola? Antes de aparecerem os telemóveis e as consolas de jogos havia muitas brincadeiras a preencher os recreios. Muitas passavam de geração em geração. Apanhada, escondidas, saltar à corda. Passe aos seus filhos as lengalengas que acompanhavam as brincadeiras e os jogos que juntavam todos nos intervalos grandes.

Mesmo que não se lembre da “Linda Falua”, da “Mamã, dá licença” ou do “Macaquinho do chinês”, há certamente algum jogo que faça parte do seu imaginário infantil, e que pode entreter o seu filho com o resto da família ou os amigos durante horas, sem depender de bateria ou de um ecrã.

Acrobacias em conjunto

Há algumas modalidades que fazem exercícios de forças combinadas, que resultam em figuras mais ou menos acrobáticas muito divertidas de fazer. Há sempre uma base, mais pesada e forte, e um volante, mais leve. Com crianças como volantes, é relativamente fácil ser base. Não é preciso escolher figuras muito complexas. Há muitas páginas de ginástica acrobática e de acroyoga que exploram um pouco a variedade de posturas que se podem fazer. Há até alguns casais, ou mesmo famílias, que partilham estas aventuras nas redes sociais. Divirtam-se a partilhar ideias durante a semana, e experimentem ao fim de semana. Sempre em segurança, e com uma boa dose de gargalhadas.

As duas mais clássicas são o avião e o pino-praia. No avião, a base fica deitada de costas no chão e coloca os pés virados para fora na parte da frente da bacia do volante. Com as mãos dadas, levanta o volante no ar com os pés, até ficar paralelo ao chão.

No pino-praia, a base está deitada no chão, com as pernas dobradas e os pés no chão. O volante coloca as mãos perto dos joelhos da base, que lhe ampara os ombros com as mãos. Com este triângulo de apoio mãos-ombros-joelhos, o volante tenta fazer o pino, ficando direito com o apoio da base. A variedade de posturas é enorme, desde figuras mais simples até às mais complexas. Atreva-se, e quem sabe ficam com um belo álbum para a coleção.

Jogos de bola

Se o local onde forem permitir estes jogos, por que não recuperar o seu toque de bola? Vólei, futebol, raquetes, como na praia, ou o que a imaginação ditar. Exercite os seus reflexos e faça exercício sem dar por isso, divertindo-se com as suas crianças pelo caminho.

Para os mais didáticos

Há hoje muitos jogos com desafios de exercício, por exemplo, em cartas que se tiram à sorte. Estendam um tapete ou uma toalha, tirem uma carta e toca a praticar. Há alguns com poses de yoga especialmente para famílias, que atribuem a cada pose o nome de um animal. Também é de mencionar o clássico twist, do famoso tabuleiro de chão gigante às bolinhas coloridas.

Podem ainda optar por ser mais criativos, e fazer o vosso próprio jogo! Com descrições, desenhos ou fotografias, vão construindo o vosso repertório de desafios ao ar livre. Feito por nós tem outro sabor, e cada um pode contribuir com os exercícios que mais gosta.

Há ainda o bom e velho peddy-paper. Faça uma lista de “tarefas” para os pequenos, com a missão de recolher com fotografias vários elementos do jardim. Por exemplo, uma flor amarela, uma folha vermelha, um insecto, uma ave, a árvore mais alta, a mais antiga, etc. Não precisa de danificar nada no jardim, dado que hoje a maior parte das pessoas tem telemóvel com câmara, e pode comparar as fotografias no fim. Apesar de não ser um exercício formal, vai manter todos ocupados e em movimento, à procura dos vários elementos a recolher.

As aulas formais

Com o desconfinamento, muitas aulas deslocaram-se dos ginásios para os jardins. Há estúdios, como os de artes marciais, que oferecem aulas para miúdos e graúdos ao mesmo tempo. Aproveite que estas modalidades “de jardim” estão agora mais visíveis. Leve as crianças a ver algumas aulas, tirem dúvidas e entusiasmem-se por uma modalidade. Quem sabe não se torna um novo hábito da família?

O isolamento social e o confinamento desta primavera ensinaram-nos a valorizar mais aquilo que temos à disposição e dávamos por garantido. Como os jardins e parques à nossa volta e o tempo que passamos em família. Porque a vida não deve ser só uma sequência infindável de compromissos e obrigações, ganhe tempo de exercício e convívio com os seus filhos.

A maioria destas atividades é grátis e relativamente fácil de encaixar, mesmo numa agenda agitada. Pense nelas como uma atividade extracurricular de pais e filhos, uma fonte de bons momentos e de alegria saudável, para equilibrar o regresso à rotina das aulas e do trabalho.

Teresa Fernandes, Fisioterapeuta
Instrutora de Yoga Suspenso, Gyrotonic e Gyrokinesis (aplicação na perda de mobilidade, prevenção de problemas músculo-esqueléticos, pré e pós-parto)

PUB PUB