Seis desafios inspiradores

A internet, em particular nas redes sociais, está cheia de desafios. Está na moda participar e sobretudo mostrar os resultados. Uns são mais insólitos que outros, alguns são muito próximos do impossível, mas a maioria é uma alternativa interessante para ocupar os tempos livres.

Exemplos de desafios inspiradores.

Não só pela facilidade com que se põem em prática, mas também pelos benefícios que podem trazer à nossa vida diária. Aqui a ideia não é mostrar os resultados, nem manter estes hábitos indefinidamente. Mas sim analisar alguns dos nossos hábitos com novos olhos e quem sabe, mudá-los para melhor.

Fins de semana “grátis”

A ideia é não gastar dinheiro durante um período limitado de tempo. Num fim de semana, experimente planear atividades sozinho, em casal, com amigos ou com as crianças, em que não se gaste dinheiro. Com alguma criatividade, há bastantes opções.

Pode, por exemplo, organizar um passeio temático pela cidade, em que cada participante inventa uma história mirabolante para uma estátua, ou monumento, e o apresenta ao grupo com a maior seriedade possível.

Em alternativa, pode ficar em casa e fazer uma noite de cinema ou de jogos de tabuleiro, com direito a pipocas caseiras.

No que diz respeito a entretenimento, há dezenas de opções, desde torneios de jogos de vídeo ou de cartas até atividades desportivas ao ar livre. Como ir andar de patins ou bicicleta, jogar vólei ou futebol na praia, ou ir a um parque de exercício local.

Em vez da voltinha pelo centro comercial, pode organizar uma feira de trocas entre amigos. De roupa, decorações, livros e objetos em geral. Ou até uma venda de garagem (física ou virtual), em que põe à venda artigos em bom estado, mas dos quais já não precisa. Ou pode fazer uma escolha de roupa, livros ou brinquedos e doá-los a uma instituição local.

Ir às compras no guarda-roupa

Quantas vezes olhou para um armário a rebentar pelas costuras e pensou “não tenho nada para vestir”? Respire fundo, convide umas amigas e prepare a câmara. A ideia é experimentar combinações criativas que não costuma usar, e fotografar as equipas vencedoras.

Também pode fazer o mesmo com as combinações que usa vezes sem conta e que sempre resultam. Desta forma, vai construir um portefólio de estilo pessoal, ao qual pode recorrer quando a inspiração faltar. De caminho, vai com certeza descobrir peças esquecidas e dar-lhes uma nova vida. Assim como vai perceber que peças lhe fazem falta (se as há) e nas quais pode investir, numa próxima oportunidade.

Se estiver particularmente inspirada, aproveite para separar as peças que já não usa, organizar e limpar o seu armário. Assim, em vez de vaguear pelas lojas à procura de inspiração, pode fazer de “curadora” do seu guarda-roupa e torná-lo mais prático e apelativo.

Semana sem restaurantes

Experimente fazer uma semana por mês em que não vai a restaurantes. Além de estimular a sua criatividade culinária, a sua dieta agradece e a carteira também. Vale tudo!

  • experimentar fazer as receitas de família
  • usar ingredientes diferentes
  • fazer refeições temáticas por país ou por tipo de alimentação (vegan, vegetariano, comida crua)
  • experimentar usar mais uma categoria de alimentos (leguminosas ou peixe)

Para os almoços durante a semana, opte por preparar uma marmita, usando uma refeição quente feita em quantidade. Ou preparando “peças” diferentes, que podem encaixar de várias maneiras, em pratos simples ou numa salada.

Os mais audazes podem tentar fazer a sua própria versão dos pratos de restaurante preferidos. Ou dos clássicos da fast food. Muitas vezes um hambúrguer caseiro pode ser muito mais saboroso que o de compra. Não só por combinar os ingredientes preferidos, mas também os mais saudáveis.

Ir às compras na despensa

A despensa é muitas vezes alvo de acumulação de produtos alimentares que, por terem prazos de validade longos acabam esquecidos durante muito tempo. E eventualmente estragados.

O objetivo deste desafio é utilizar ao máximo os alimentos da despensa, acabando-os antes de comprar novos. Naturalmente, não é preciso fazer refeições inteiras limitadas à despensa. Estas podem e devem ser complementadas com produtos frescos.

Dependendo do estado da sua despensa, procure durante algumas semanas gastar os produtos que lá estão. Mesmo os mais insólitos. Procure novas receitas ou faça um prato que já não faz há muito tempo. Em que utilize uma parte dessas reservas, complementando-os com produtos frescos. Por exemplo, feijoada ou salada de atum.

Pode combinar este desafio com o de não ir a restaurantes, ou o do fim de semana sem gastos. Quem sabe com um jogo de “cestos”. Como nos programas de culinária em que os participantes têm que fazer uma refeição saborosa, com um conjunto aleatório de ingredientes.

Criar um inventário de pratos sazonais

A ideia deste desafio é tirar partido dos produtos da época, de preferência locais. Ao mesmo tempo que facilita a tomada de decisão na cozinha e no supermercado.

Vagueie pelas suas memórias alimentares:

  • Qual é a sua comida de conforto para o inverno?
  • Quais são as suas opções, para renovar a energia na primavera e manter a frescura no verão?
  • Quais são os alimentos que anunciam a chegada do outono?

Use essas referências e pesquise as frutas e legumes característicos das várias fases do ano, na sua área de residência. Junte a família e vai rapidamente chegar a um conjunto de pratos característicos de cada estação. Mantenha a lista à mão, assim como as respetivas receitas. E, em cada estação do ano, pode recordar os pratos que lhe dão um sabor especial.

Não há necessidade de criar uma lista intensiva, ou de se limitar ao sazonal em todas as semanas do ano. Mas esta lista será provavelmente uma fonte de inspiração, além de um incentivo a consumir as frutas e vegetais da época.

30 dias de minimalismo

Este desafio consiste em reunir objetos em geral, que estejam a mais na sua casa, e ver-se livre deles. O destino dos escolhidos pode variar:

  • uma instituição local
  • alguém que possa dar-lhes melhor uso
  • lixo
  • reciclagem, se o estado do objeto o exigir

Normalmente o que se faz é escolher um objeto no primeiro dia, dois no segundo e por aí fora. Se se sentir com energia e vontade de se ver livre das coisas, pode começar pelos 30 e fazer a contagem decrescente.

No final dos 30 dias, distribua os objetos pelo respetivo destino. E desfrute da sua casa com mais espaço e menos coisas inúteis.

Estes desafios, ao contrário de outros que se encontram online, não são obrigatórios nem rígidos. Não tem que mostrar resultados a ninguém. Não precisa de fazê-los até ao fim. Pode até optar por uma versão mais leve e despreocupada. E, certamente, não precisa de fazê-los todos ao mesmo tempo, embora alguns sejam compatíveis.

Um resultado interessante pode ser uma nova forma de olhar para o seu ambiente e os hábitos da vida diária, que podem levar a mudanças para melhor se assim o entender. Aceita o desafio?

 

 

Teresa Fernandes, Fisioterapeuta
Instrutora de Yoga Suspenso, Gyrotonic e Gyrokinesis (aplicação na perda de mobilidade, prevenção de problemas músculo-esqueléticos, pré e pós-parto)

PUB PUB