Crianças fit: pense fora da caixa

Atividades físicas diferentes para crianças

No que toca a atividades extracurriculares, uma das preocupações dos pais é que os filhos tenham pelo menos uma atividade física. Por forma a manter o corpo são e, de caminho, trabalhar outras capacidades, como:

  • trabalho em equipa
  • controlo motor
  • resolução de problemas
  • controlo emocional

No entanto, algumas crianças são relutantes aos desportos mais comuns, como futebol, ginástica, ballet ou artes marciais. Não porque haja algo de errado com estas atividades (de maneira nenhuma). Mas porque já se fartaram, não simpatizam com o desporto em si, ou estão numa fase de originalidade e de fugir ao que todos fazem.

Para essas crianças, e também para as curiosas que já fazem desporto, mas adoram experimentar coisas novas, ficam algumas sugestões mais “fora da caixa”.

Teatro musical

Para as crianças e jovens mais artísticos, esta modalidade junta três talentos: canto, dança e representação. É uma forma divertida, e completa, de explorar a expressão corporal e vocal. A prática é variada, desafiante e com aquele cheirinho de palco que dá uma adrenalina extra e aumenta a motivação para continuar.

Desportos coletivos: um mundo para além do futebol

É certo que os jovens experimentam muitos desportos em educação física. No entanto, poucos lhes dão continuidade. Se os seus filhos têm oportunidade de praticar outras atividades, encoraje-os a experimentar, por exemplo:

  • hóquei
  • andebol
  • voleibol
  • râguebi
  • pólo aquático
  • natação sincronizada

Além dos benefícios dos desportos coletivos em geral, há a possibilidade de aprender um conjunto de competências mais invulgar, estimular a autoestima e o sentido de originalidade.

Dançar de mil maneiras

Nem só de ballet clássico se faz a dança. Há um mundo de modalidades à espera de cativar os jovens, em grupo, a par ou a solo:

  • contemporâneo
  • jazz
  • hip-hop
  • breakdance
  • danças sociais
  • sapateado
  • danças tradicionais
  • bollywood
  • danças latinas
  • danças tribais
  • ou uma mistura de várias destas opções

Os jovens ganham ritmo, coordenação, controlo motor, flexibilidade e fluidez no movimento. Conhecem melhor o seu corpo e aprendem a expressar-se com ele. Além de ganharem controlo e foco mental, muito útil para se iniciarem no nervoso miudinho dos palcos e se viciarem nas palmas do público.

Modalidades aéreas e circenses

Estas modalidades pedem alguns conceitos emprestados à dança, à ginástica e até aos desportos a par e de grupo. E levam-nos para voos mais altos. As seguintes atividades, e ainda outros aparelhos e sub-modalidades, fazem a delícia dos pequenos aventureiros:

  • trapézio
  • tecido vertical
  • aerial sling
  • lyra
  • corda
  • argolas

A responsabilidade de estar suspenso implica o desenvolvimento e maturação do controlo do corpo, da força, do equilíbrio e da flexibilidade. Bem como a coordenação.

As modalidades circenses, como o contorcionismo, as forças combinadas e o malabarismo levam estas capacidades ainda mais além. O melhor é experimentar uma aula mista destas modalidades para crianças ou jovens, para desenvolver as capacidades necessária e ter várias experiências diferentes. Depois é deixar cada um decidir qual é a sua paixão.

Yoga

Yoga para crianças e jovens é normalmente mais um gosto adquirido, do que uma paixão à primeira vista. Mas o facto é que há poucas modalidades tão completas, e com tanto potencial, para explorar diretamente outras dimensões pessoais. Como sejam a consciência, a mente e as emoções.

Há abordagens muito divertidas para as crianças aprenderem yoga, associando cada posição a um animal e fazendo uma iniciação divertida à quietude e à meditação. Os benefícios vão bem para além dos físicos, dos quais se podem destacar:

  • flexibilidade
  • maturação das reações de equilíbrio
  • força
  • coordenação

Os jovens aprendem a importância da respiração e da sua integração no movimento. Bem como os benefícios de parar e “olhar para dentro”, trabalhando o foco, a consciência, a autoperceção e a confiança em si mesmo.

Além do yoga clássico, os jovens podem aventurar-se por:

  • yoga suspenso – feito num sling de tecido
  • SUP (stand-up paddle) yoga – feito dentro de água e desafiando o equilíbrio sobre uma prancha
  • acroyoga – junta conceitos de yoga com o trabalho a pares, característico da ginástica acrobática

Este último pode até ser feito numa versão mais informal, na praia ou no parque. E com toda a família, usando os adultos como base e as crianças como volante.

Seja qual for a modalidade escolhida, o importante é que as crianças e os jovens se sintam bem, desafiados, motivados e incentivados a aprofundar a técnica e a melhorar. Se tudo isto for aliado à diversão, ao desenvolvimento pessoal e à construção de outros grupos de amigos para além da escola, ainda melhor.

Teresa Fernandes, Fisioterapeuta
Instrutora de Yoga Suspenso, Gyrotonic e Gyrokinesis (aplicação na perda de mobilidade, prevenção de problemas músculo-esqueléticos, pré e pós-parto)

PUB PUB