Óculos de realidade virtual. O que são e como escolher

Óculos de realidade virtual: Viva esta experiência

A capacidade de imersão nos conteúdos audio-visuais tem sido uma corrida, com muitos participantes. O cinema 3D e, mais recentemente, o 4D eram quase as únicas propostas capazes de chegar à maioria das pessoas. Nos últimos anos, surgiram os óculos de realidade virtual.

Com os óculos de realidade virtual, foi possível massificar a sensação de nos transportar para uma realidade paralela. Confortavelmente e sem sair de casa.

Os óculos em si são apenas uma componente. Não nos podemos esquecer que os próprios conteúdos têm de ser criados para este objetivo. E desempenham, talvez, o papel mais importante. Depois, vêm os aparelhos que concentram e processam toda a experiência. Podem ser consolas de jogos, computadores pessoais ou simples smartphones.

É para tornar visíveis, e audíveis, todas estas sensações, que aparecem os óculos de realidade virtual:

  • podem ser simples ou complexos
  • mais ou menos dispendiosos. Consoante a forma como nos fazem chegar os conteúdos
  • podem ser suportes para telemóveis. Que permitem ver tudo o que é processado no ecrã do próprio aparelho, adicionando apenas a capacidade de interpretar os movimentos que fazemos com a nossa cabeça
  • podem ser óculos tecnologicamente mais elaborados. Com ecrãs incorporados e muitas funcionalidades.

Uma coisa é certa. Esta capacidade de imersão em conteúdos virtuais é cada vez mais real e acessível. Alternativas não nos faltam.

Óculos de realidade virtual Qilive