Testes rápidos ao Covid-19

Os testes ao Covid-19 já estão disponíveis nas nossas lojas Auchan. Estes testes são Testes Rápidos de Antigénio SARS CoV-2 e podem ser adquiridos nos Espaços “A Minha Saúde e Bem-Estar”.

  • a venda destes testes só pode ser feita a maiores de 18 anos
  • promovemos a comunicação dos resultados dos testes às autoridades de saúde, para maior controlo da pandemia

Deixamos aqui várias questões relacionadas com os testes, para sua orientação.

De qualquer forma, as nossas equipas de colaboradores receberam formação específica, para esclarecer todas as suas dúvidas.

Existem 3 tipos de teste para deteção e controlo da pandemia de Covid-19:

  • teste PCR
  • teste rápido de antigénio
  • teste serológico

Teste PCR SARS-CoV-2 (teste molecular de pesquisa de RNA do vírus)

É considerado o teste laboratorial de referência para detetar pessoas infetadas; é efetuado por laboratórios de análises clínicas acreditados.

Teste rápido de antigénio SARS-CoV-2 (teste de deteção de proteína viral)

Teste rápido para deteção de pessoas infetadas; eficaz quando a carga viral é elevada e por consequência na deteção de pessoas na fase de maior perigo de contagiar outras pessoas.

Teste serológico (testes de pesquisa de anticorpos)

Permite avaliar se a pessoa já esteve em contacto com o vírus e se na sequência do contacto desenvolveu algum grau de imunidade.

Até agora, apenas os testes serológicos (testes para avaliação da imunidade) podiam ser adquiridos em farmácias ou Locais de Venda de Medicamentos Não Sujeitos a Receita Médica (LVMNSRM) e realizados pelo próprio utente. Com a publicação da Portaria no 56/2021, de 12 de março, é autorizada, a título excecional, a utilização de testes rápidos de antigénio para autodiagnóstico (autoteste).

Serão os testes rápidos de antigénio que vamos ter à venda nas nossas lojas.

Quando efetuados por não profissionais, os testes rápidos de antigénio SARS-CoV-2 têm mostrado desempenhos inferiores em comparação com a utilização por profissionais. Um resultado falso negativo pode ocorrer se a concentração de antigénio na amostra testada estiver abaixo do limite de deteção do teste, ou se a amostra tiver sido colhida de forma incorreta.

Assim, um resultado negativo não elimina a possibilidade de infeção por SARS‑CoV‑2. Embora sendo menos frequente, existe também a possibilidade de um resultado falso positivo.

Por estes motivos, o resultado obtido por autoteste SARS-CoV-2 não deve, em caso algum, levar à redução das medidas de prevenção e controlo de infeção estabelecidas pelas autoridades de saúde. É muito importante salientar que os autotestes de antigénio SARS-CoV-2 não substituem os testes de uso profissional, realizados de acordo com o preconizado na Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2, nos termos da Norma 019/2020 da DGS. São antes um complemento a essa estratégia.

As principais vantagens dos autotestes de antigénio SARS-CoV-2 são a possibilidade de aumentar a frequência de testagem da população e a melhoria de acessibilidade aos testes.

Os autotestes de antigénio SARS-CoV-2 poderão ser dispensados/vendidos apenas a clientes com idade igual ou superior a 18 anos.

Não. Em caso algum o autoteste de antigénio SARS-CoV-2 (incluindo a colheita da amostra) poderá ser realizado nos pontos de venda.

A correta realização do autoteste de antigénio SARS-CoV-2 é da sua inteira responsabilidade, devendo ler e seguir de forma rigorosa as indicações presentes no folheto informativo.

A ajuda que lhe possamos dar através das indicações abaixo listadas não substitui, em caso algum, a necessidade de leitura do folheto informativo do teste.

A realização do autoteste de antigénio SARS-CoV-2 pode dividir-se em quatro etapas:

  1. recolha do esfregaço nasal
  2. preparação da amostra
  3. procedimento de teste
  4. interpretação dos resultados

Recolha do esfregaço nasal

  • Retirar a zaragatoa do recipiente, tendo o cuidado de não tocar na extremidade macia (a extremidade macia da zaragatoa não deverá entrar em contacto com qualquer objeto ou superfície)
  • Inserir a ponta macia da zaragatoa esterilizada numa fossa nasal, tendo o cuidado para não inserir mais do que 2 cm
  • Rodar a zaragatoa 5-10 vezes contra a parede nasal
  • Utilizando a mesma zaragatoa, repetir os dois pontos anteriores na segunda fossa nasal

Importante: caso a zaragatoa se parta durante a amostragem, repetir todo o processo com uma nova zaragatoa.

Preparação da amostra

  • Abrir o frasco que contém a solução de extração e colocar o conteúdo dentro do tubo de colheita da amostra
  • Inserir a ponta macia da zaragatoa no tubo de colheita. Rodar a zaragatoa contra as paredes do tubo de colheita, durante aproximadamente 10 segundos, para misturar completamente a solução
  • Retirar a zaragatoa apertando os lados do tubo para extrair o máximo de amostra possível
  • Inserir a tampa no tubo de colheita da amostra

Importante: As amostras devem ser testadas o mais cedo possível após a extração.

Procedimento de teste

  • Abrir a bolsa de alumínio e retirar a cassete de teste
  • Colocar a cassete de teste numa numa superfície limpa e nivelada
  • Adicionar 3 gotas de amostra
  • Aguardar que a(s) linha(s) colorida(s) apareça(m)
  • Dependendo do modelo do teste, a leitura poderá ser feita entre os 15 e os 30 minutos após a realização do teste. O cliente deverá seguir exatamente as indicações do folheto informativo

Interpretação dos resultados

POSITIVO

  • Aparecem duas linhas coloridas. Uma linha colorida deve aparecer sempre na região de Controlo (C) e outra linha deve estar na região de Teste (T). O resultado positivo na região do Teste indica a deteção de antigénios SRA-CoV-2 na amostra.
  • Importante: a intensidade da cor da linha na região de Teste (T) pode variar em função da concentração de antigénios do SRA-CoV-2 presentes na amostra. Portanto, qualquer tonalidade de cor da linha na região de Teste (T) deve ser considerada positiva

NEGATIVO

  • Uma linha colorida aparece na região de controlo (C). Não aparece nenhuma linha na região de Teste (T)

INVÁLIDO

  • A linha de controlo não aparece. Volume insuficiente de diluente ou técnicas processuais incorretas são as razões mais prováveis para a ausência de linha de controlo. Rever o procedimento e repetir o teste com um novo dispositivo

A responsabilidade pela comunicação do resultado do autoteste de antigénio SARS-CoV-2 às autoridades de saúde é da pessoa que decide efetuar o teste.

Os indivíduos sintomáticos e/ou os seus contactos com caso confirmado devem contactar a linha Saúde 24 (808 24 24 24) independentemente do resultado do teste.

Para os indivíduos assintomáticos, a comunicação de resultados deverá ser feita da seguinte forma:

  1. No contexto da utilização por iniciativa própria dos autotestes SARS-CoV-2, um resultado positivo ou inconclusivo deve ser comunicado diretamente, por contacto telefónico, à linha Saúde 24 (808 24 24 24) ou através do preenchimento do formulário eletrónico que irá ser criado oportunamente para o efeito na página web www.covid19.min-saude.pt
  2. No âmbito da utilização em contextos específicos, a comunicação desse resultado pode ser efetuada, alternativamente, ao médico assistente ou de saúde ocupacional/medicina do trabalho
  3. Independentemente do contexto em que seja efetuado o teste, o reporte de obtenção de um resultado positivo deve ser acompanhado, sempre que possível, de informação relativa à identificação comercial do autoteste (marca), fabricante e código identificativo do lote do teste utilizado

Caberá às autoridades de saúde avaliar cada uma das comunicações efetuadas, relativas a resultados dos autotestes de antigénio SARS-CoV-2, e dar indicações, quando necessário, sobre as medidas a adotar (teste PCR de confirmação, isolamento, etc.).

Os resultados Negativos devem, igualmente, ser comunicados. Tal comunicação será feita através de um formulário eletrónico (em fase de desenvolvimento pelas autoridades de saúde).