Ensinar o cachorro a não fugir

Tem receio que o cão desate a correr e fuja durante o passeio? Sim, é natural.

Fugir é por vezes uma reação irresistível: porque quer brincar, porque foi atraído por um odor ou até porque se assustou.

Existem muitas razões. Algumas delas podem ser:

  • está aborrecido e quer brincar
  • tem receio de um som muito forte (ex: foguetes)
  • tem ansiedade de separação de um membro da família
  • sente-se atraído por outro animal ou por odores fortes

O cão não vai perceber que fez algo de errado e não deve ser castigado.

Colocar o chip, uma coleira com um contacto telefónico e a esterilização minimizam em grande parte o risco da fuga.

Claro que a prevenção é a melhor solução.

Estar entretido, brincar e não passar muito tempo sozinho ajudam o cão a não ficar demasiado ansioso. Passear diariamente, brincar com brinquedos ou até com outro cão, devem fazer parte da rotina. Isso reduz a vontade de fuga.

Se o patudo passa algum tempo sozinho e tem acesso ao exterior é importante tornar o espaço seguro, para evitar o risco de fuga. Os cães são mestres a roer e cavar e por isso conseguem criar espaços para sair se houver uma oportunidade.

PUB PUB