Dicas para o cachorro não ladrar às pessoas

Seja em casa, quando chega alguém que não faz parte da família, ou na rua que está repleta de estranhos, o cão pode sentir a necessidade de marcar a presença e o seu “controlo” da situação. Este ladrar soa habitualmente mais agressivo. No entanto, o cão pode ladrar para cumprimentar, para chamar a atenção para a brincadeira, para pedir uma guloseima e o som vai ser menos grave e certamente menos estridente e mais curto.

Para conseguir interpretar o tipo de som, a linguagem corporal também é reveladora.

Se o ladrar for positivo (para brincar, para pedir algo) o corpo e as orelhas estão relaxados e o cão agita-se podendo até saltar para reforçar a chamada de atenção.

Se o cão estiver assustado as orelhas ficam habitualmente encolhidas para trás junto à cabeça e a cauda recolhida entre as pernas. O corpo também pode ficar encolhido a nível dos quadris. Se estiver a marcar território, o corpo está tenso e a cauda esticada, mas sem movimento.

Se o cão ladra às visitas, o primeiro passo é tentar reduzir a ansiedade e pedir aos convidados para ignorar o patudo.

O cão vai acabar por desistir e aproximar-se calmamente de quem acabou de chegar. Nessa altura, a visita pode oferecer uma guloseima para eliminar de vez a desconfiança. Também pode encontrar-se na rua com as visitas e entrarem todos ao mesmo tempo em casa. Vai ajudar a que o cão esteja mais receptivo. Quando ele começa a ladrar tente desviar a atenção e distrai-lo para ouro ponto de interesse.

A sociabilização com outros humanos e com outros cães é muito importante, para eliminar essa ansiedade, e conseguir que o cão se sinta seguro na presença de estranhos.

PUB PUB