Quando as crianças não aceitam bem a chegada do cachorro

AE pet medo cachorro | Auchan&Eu

A chegada de um cachorro implica uma adaptação de toda a família a novas rotinas e cuidados especiais. Este novo membro da família requer proteção, atenção e afetos. Vai ocupar um espaço físico e emocional no seio da família e as crianças reagem tendencialmente de forma muito positiva, contribuindo ativamente para os cuidados a ter, desde a alimentação, higiene, etc.

No entanto, podem existir momentos de algum ciúme e até de rejeição, porque afinal o cachorro vai concentrar muitas atenções.

A escolha

É importante ponderar bem a escolha da raça se tem crianças em casa. Existem raças muito dóceis e recetivas às crianças. Deve também apresentar as crianças ao cachorro antes da escolha para avaliar se a reação de todos é positiva.

A autonomia

Idealmente é importante que a criança já tenha alguma motricidade quando tomar a decisão de trazer um cachorrinho para casa. Para além da autonomia física, será também mais benéfico para a criança se a interação for mais madura, ou seja, a criança vai aprender a relacionar-se melhor e a responsabilizar-se pelo cachorro. Essa relação vai ser mais benéfica para a criança a nível da brincadeira e dos afetos. Também poderá contribuir para a relação entre o cachorro e a criança ser mais forte. Habitualmente considera-se que a partir dos 4 anos de idade a criança estará mais recetiva para receber e aceitar a chegada do cachorro.

As tarefas

Na chegada a casa deve ensinar a criança a brincar com o cachorro: respeitar o seu espaço, não dar abraços demasiado apertados, não interferir no sono, aceitar se ele não quiser brincar, etc.

A criança também pode ajudar a cuidar do cachorro: dar de comer e de beber, escovar o pelo, etc. É também importante que ensine a criança de que, tal como os humanos, existem momentos para a refeição e que os alimentos têm de ser adequados para o cachorro.

Considerando estes pontos a criança e o cachorro serão certamente melhores amigos e terão uma relação de cumplicidade e afeto que poderá até reforçar a autoestima da criança.