Trazer um gato para casa. Como fazer uma adoção responsável

A escolha do gato ideal. Como o fazer?

Adotar um gato é uma decisão importante. Ele irá viver com a família, durante vários anos. É preciso assegurar que tem bons cuidados de saúde, higiene e alimentação. E, claro, muitos mimos! Mas também é importante saber fazer uma adoção responsável.

Afinal, cada um de nós tem a sua personalidade e necessidades. E o mesmo acontece com os nossos amigos felinos! A tolerância, nível de atividade e compatibilidade com a família são outros aspetos que devem ser considerados.

Vamos então saber o que fazer para fazer uma adoção responsável.

A sua vida

Há gatos mais independentes e outros mais carentes. Por isso, pense se gosta mais da ideia de estar em casa, no sofá, com o seu gato ao colo. Ou se é mais uma pessoa que gosta de ir sempre passear para a rua.
Há outras questões que pode pensar, como:
– O gato deve entreter-se sozinho?
– Quero um gato de casa ou pode ir à rua?
– Deve dar-se bem com cães?
– Deve estar habituado a crianças?

As alergias não são impedimento. Mas importam!

Se é alérgico a gatos, saiba que isso não o impede de ter um. Mas, claro, terá de ter especial atenção na escolha! Existem raças designadas hipoalergénicas, que deitam muito menos pelo, que o habitual.

Devo adotar um gatinho?

Um gatinho é como um bebé. Precisa de mais cuidados e a sua personalidade ainda não está formada. Por isso, se tem disponibilidade e gosta de surpresas, força! Mas se tem pouco tempo ou prefere saber com o que conta, opte por um gato adulto.

Gato de raça ou rafeiro?

A maioria dos gatos são rafeiros, fruto de cruzamento de várias raças. Tipicamente, estes gatos são mais resistentes a doenças e exigem menores cuidados. Pelo contrário, os gatos de raça serão mais previsíveis. Em temperamento, dimensão, tamanho do pelo e problemas específicos de saúde, que pode logo endereçar.

O pelo faz toda a diferença

Um gato de pelo comprido é extremamente belo. No entanto, tem de ser penteado diariamente! O que pode não ser compatível com o seu tempo livre. Ou a sua paciência! Por isso, tenha o pelo em consideração quando escolher o seu gato.

Macho ou fêmea?

Os gatos machos e fêmeas fazem ambos ótimos animais de companhia. E não são assim tão diferentes entre si. Mas existem diferenças, como:
– os machos são maiores
– os machos não esterilizados têm mais tendência a fugir de casa para explorar, urinar fora da caixa e entrar em lutas
– fêmeas não esterilizadas miam muito alto na altura do cio. E pode ser difícil mantê-las dentro de casa
– fêmeas não esterilizadas podem engravidar, sendo preciso cuidar dos gatinhos que nascem
– é mais dispendioso esterilizar uma fêmea do que um macho

Assim, pense nestes (e noutros) aspetos e escolher o gato certo vai ser fácil. E todos vão viver muito melhor com essa escolha!

PUB PUB