Que cuidados se devem ter durante os meses das gatas?

Diz-se que dezembro e janeiro são os meses das gatas. É nesta altura do ano que, normalmente, as fêmeas entram no cio. Isto acontece devido ao facto de os gatos serem animais “poliéstricos sazonais”. Isto significa que só estão no cio em determinada altura do ano e, nessa altura, têm vários cios. Este fenómeno cíclico é controlado pelo número de horas de luz do dia.

Na presença de luz adequada, a maturidade sexual e o primeiro cio ocorrem normalmente entre os seis e os nove meses. Podem, no entanto, variar para dos cinco aos 12 meses.

Cada cio dura entre sete a dez dias e, caso não engravide, pode recorrer em intervalos de 14 a 21 dias. As gatas não apresentam grandes sinais físicos, pelo que as alterações comportamentais são os únicos sinais indicativos. Os cios manifestam-se por meio de miados, fricção repetida ou postura de monta quando o dorso é tocado.

É aconselhada a esterilização e a castração

Este tipo de intervenção cirúrgica ajuda a restringir a reprodução indesejada. Adicionalmente, gera um comportamento mais adequado à vida doméstica. Para os gatos com acesso à rua ou a qualquer ambiente externo, a esperança de vida aumenta bastante com a castração. Esta diminui as brigas e as doenças transmitidas entre os gatos. Os gatos não esterilizados tendem a fugir, envolvendo-se frequentemente em lutas. Além disso, estão em maior risco de contraírem doenças, como FeLV (Vírus da Leucemia Felina) e FIV (Vírus da Imunodeficiência Felina). Ou ainda de serem atropelados. Além disso, os machos não castrados tendem a marcar o território com urina de odor intenso e a arranhar árvores. Em casa, arranham por vezes mobiliário e paredes.

A esterilização das gatas é bastante favorável porque elimina o cio e as ninhadas indesejáveis. Além disso, reduz o risco de tumores mamários e elimina a hipótese de ocorrência de infeções uterinas.
A idade ideal para a esterilização é entre os seis e os 12 meses de idade.