Como prevenir o excesso de apego dos cães no isolamento social

Em muitas casas com animais, alguns estão a revelar mudanças de comportamento. Alguns ficam mais agitados, outros mais sonolentos e muitos estão mais apegados aos donos. No caso dos cães, as mudanças de comportamento estão bastante centradas em pedirem mais atenção aos donos. Assim, este período de isolamento social parece estar a significar um estreitar de lados com os donos.

E se isso tem um lado positivo, também é importante estar atento ao lado menos bom desse apego. Não só no período atual, em que o cão pode ficar angustiado quando o dono se ausenta um pouco mais que o habitual. Mas, principalmente, quando tudo passar, e o dono regressar às antigas rotinas, deixando o cão novamente sozinho por maiores períodos de tempo.

Assim, é importante apostar na prevenção!

Veja como ajudar o seu cão a sentir menos a sua ausência, quando a vida voltar ao normal.

Tenha momentos em que se isola do seu cão

Quando vai à casa-de-banho ou tomar banho, garanta que o cão não vai atrás de si. Deixe-lhe um brinquedo para se entreter e não sentir tanto a sua falta.

Implemente a rotina normal

É possível que tenha descurado a rotina habitual nos primeiros tempos de isolamento. Volte a ela, para que o cão se volte a habituar. Assim, dê a alimentação como fazia antes do isolamento, tal como sair para o passeio ou brincar.

Se estiver em teletrabalho, arranje-se como se fosse sair

Feche-se numa divisão, onde o cão não entra, e fique lá por períodos cada vez maiores. Quando sair, aja com naturalidade, como se tivesse simplesmente chegado a casa do trabalho.

Estes pequenos comportamentos irão ajudar a reduzir a ansiedade de separação, que é possível que o seu cão sofra, quando voltar à rotina normal da sua vida.

PUB PUB