É preciso ter cuidado com os parasitas externos no inverno?

Cuidados com os parasitas no inverno

É necessário tomar alguns cuidados com os parasitas externos no inverno, principalmente relacionados com a prevenção, apesar das pulgas e carraças proliferarem mais no verão.

A dica é ficar de olho no ambiente, onde essas “pestinhas” costumam abrigar-se

Se tem um quintal grande, deve manter a erva sempre aparada. Tapetes felpudos e cantos esquecidos também devem ser observados.

Além disso, deve-se fazer o tratamento preventivo

Este serve para evitar que o parasita se instale e inicie uma infestação que pode levar a doenças sérias e letais, como a erlichiose, babesiose e a doença de Lyme, nos animais, e a febre maculosa, em humanos.

A “operação inverno” divide-se em três etapas:

  • combate
  • controlo
  • prevenção

Para potenciar os efeitos de combate às carraças e pulgas, devem utilizar os produtos repelentes adequados. Devem também ser recomendados pelo médico veterinário, e aplicados de forma isolada ou em associação. Aqui incluem-se as pipetas spot-on, os comprimidos e as coleiras.

Não só é importante a prevenção no cão, mas também no ambiente

Afinal, a maioria dos parasitas estão mais presentes no ambiente do que no animal. Os donos devem aplicar produtos apropriados para o efeito na superfície das almofadas, camas, cobertas, panos e nas frestas do piso. Após aplicar, deve-se esperar que seque, pelo menos uma hora, ventilar o ambiente e aspirar. O cão deve ser mantido longe durante essa aplicação.

É importante ter em conta que as pulgas são o principal problema em casa

As formas imaturas (ovos, larvas e pupas) não parasitam os animais, mas podem manter-se nos tapetes e sofás, por exemplo. Com os aquecimentos no inverno, podem evoluir e originar infestações de pulgas adultas. Existem spot-on que, aplicados no cão, permitem também controlar as formas imaturas que estão no ambiente.

PUB PUB