Os cães (também) têm medo!

Quais são os medos dos cães? Descubra!

Pensamos nos cães como protetores que são. Protegem-nos a nós, às nossas casas e à nossa propriedade. No entanto, os cães também têm direito a ter medo! E enquanto alguns medos parecem ser inatos, outros há que são resultado de más experiências.

Seja por que for, é importante perceber os medos que movem (ou não movem) os nossos cães. E procurar formas de amenizar as suas consequências, para uma vida e relação mais harmoniosa.

Quais são os medos dos cães? E que consequências daí vêm?

Trovoada

Este é um dos medos mais comuns. De facto, é tão normal que até tem um nome – Astrofobia. Este medo parece afetar todos os cães, embora em graus diferentes. Alguns cães encolhem-se ou escondem-se.
Mas outros destroem o sítio onde estão, como forma de lidar com a ansiedade. Em casos mais extremos, podem urinar ou defecar.

Fogo de artifício e foguetes

Os cães têm uma capacidade auditiva muito superior à nossa. Por isso, é natural que os barulhos os incomodem. Associados às luzes, ainda agudiza mais a situação.
Em casos graves, os cães podem fugir dos donos ou de casa.

Ir ao médico veterinário

Até nisto os cães são parecidos connosco! Este medo está normalmente associado à primeira experiência que tiveram, ainda cachorros. Levar as primeiras vacinas, serem manuseados por estranhos e os cheiros presentes podem deixar uma marca para a vida.
O ideal seria visitar o veterinário mais vezes, com visitas curtas e “sociais”, para que o peso da visita anual para as consultas não seja tão grande.

Andar de carro

Muitos cães adoram andar de carro.
No entanto, se andar de carro está associado a experiências negativas poderá transformar-se numa fobia. Por exemplo, se o cão enjoa. Ou se, quando anda de carro, é para ir ao veterinário ou ser deixado no hotel para cães.
Assim, tente variar as viagens de carro, associando-as a momentos agradáveis, como forma de ajudar o cão a não ter medo.

Separação do dono

Os cães gostam de estar connosco. Quanto mais, melhor. Por isso, são muitos os que têm comportamentos destrutivos quando ficam muitas horas sozinhos em casa.
Se for o caso do seu cão, saiba que tem de ter paciência e dar tempo ao tempo, embora em muitos casos seja necessário recorrer a ajuda do médico veterinário e/ou treinador para ultrapassar este problema. Pode ser necessário ajustar o tempo que passa fora de casa, para reduzir a ansiedade do seu cão. E dar passeios longos, para que o seu cão se canse e descanse melhor, quando chegar a casa.
Adicionalmente, nos períodos em que fica sozinho, deixe os seus brinquedos preferidos e deixe-o estar no espaço onde costumam estar juntos.

Escadas

É possível que só descubra que o cão tem medo de escadas quando ele congelar e se recusar a subir ou descer. Não force nem repreenda. Use algumas guloseimas para o atrair a usar as escadas. Suba e desça com ele, usando a trela.

Pessoas

Embora os cães sejam considerados os melhores amigos do Homem, na verdade o medo de pessoas é comum. Pode ter várias causas, mas as mais comuns são maus tratos ou socialização incorreta em cachorro. É importante garantir que o cão se sente seguro e dar-lhe reforço positivo, quando consegue estar bem com pessoas.
Por vezes, o medo de pessoas só ocorre quando são pessoas estranhas ao cão. Neste caso, não se deve forçar, pois o cão pode tornar-se agressivo.

Crianças

É um caso mais específico de medo de pessoas, dirigido aos mais novos. Na sua maioria, está relacionado com falta de socialização. As crianças têm geralmente um comportamento diferente, sendo comum puxarem as orelhas ou a cauda do cão o que, obviamente, não será do agrado dele.
Embora o cão não tenha intenção de magoar a criança, tal pode acontecer, pelo que é importante detetar e resolver essa situação.

Outros cães

O medo de outros cães é bastante comum. Na maioria dos casos, está relacionado com falta de socialização com outros cães, em cachorro. Ou seja, o cão não teve contacto suficiente com outros cães.
Pode ocorrer quando o cão é separado dos seus irmãos, em tenra idade. E se não contacta com outros cães em casa, ou na rua.
Também pode acontecer o medo ter uma razão concreta, como uma experiência traumática, mesmo sem grande importância. Assim, um cão mais sensível pode assustar-se com cães mais enérgicos, que queiram brincar com ele de forma mais brusca. Ou, na pior das hipóteses, esse medo pode ter origem em ataques por parte de outros cães.

Objetos

É um medo muito genérico, pois pode ocorrer perante a maior diversidade de objetos. Os mais comuns serão os objetos que fazem barulho que usamos em casa. Como o aspirador, a máquina de café ou o secador. Mas pode acontecer em relação a qualquer coisa!
Com toda a paciência, “apresente” o cão ao objeto e deixe que ele se acostume a ele. Na maioria das vezes, é mesmo só medo do desconhecido.

Quanto às consequências, há vários sinais de que o cão está com medo.

Ou mesmo que já desenvolveu uma determinada fobia. Assim, mediante determinadas situações, como as apontadas acima, os sinais mais comuns são:

  • Tremer
  • Esconder-se
  • Babar-se
  • Guinchar
  • Ladrar
  • Ser agressivo
  • Ser destrutivo

Seja do que for que o seu cão tiver medo, não desespere. Com paciência, os medos ou fobias do seu cão poderão ser só uma lembrança do passado.

PUB PUB