A lagarta do pinheiro – um pequeno grande inimigo do seu cão

Com a aproximação da primavera, começamos todos a passar mais tempo em atividades no exterior. As famílias que têm cães não são diferentes, muito pelo contrário! É ótimo para eles passarem mais tempo no exterior. No entanto, há alguns perigos à espreita. Como a processionária ou, mais vulgarmente conhecida, lagarta do pinheiro.

O que é a lagarta do pinheiro?

A processionária é uma lagarta que, na verdade, está na fase de larva de um tipo de traça. O seu nome deve-se ao facto de se moverem em conjunto, numa linha contínua, como acontece numa procissão.
A processionária alimenta-se das agulhas de árvores coníferas, como o pinheiro ou o cedro. Na altura da primavera, estas larvas descem das árvores até ao solo, para se transformar em crisálidas e assim completar a sua transformação em traça. É, por isso, nesta altura que se cruzam com pessoas e animais.

Riscos da lagarta do pinheiro para os cães

A lagarta do pinheiro tem inúmeros pelos que libertam uma toxina muito perigosa. Isto acontece quando a lagarta sofre algum tipo de ameaça. Estes pelos têm uma espécie de gancho, que se fixa ao organismo onde cai, rompendo e libertando a toxina.

Esta toxina pode ser letal para os cães, principalmente se for ingerida.

A lagarta do pinheiro afeta qualquer animal e também humanos. Os cães acabam também por estar mais expostos, pelo facto de estarem mais na rua e serem mais facilmente atraídos por estes bichos curiosos.

Sinais de exposição à lagarta do pinheiro

  • mexer muito na boca
  • salivar abundantemente
  • aparentar estar a retirar algo da boca
  • conjuntivite
  • vómitos
  • dificuldade em respirar

Em casos mais graves, o cão pode ficar com a língua, esófago e estômago inchados, não conseguir respirar e acabar por morrer. Mesmo tratando a tempo, as partes da língua que entraram em contacto com a toxina podem ficar em necrose.

Se detetar algum destes sinais no seu cão, num passeio pelo campo, ou após, leve-o imediatamente ao veterinário. Uma primeira medida, se não estiver perto do veterinário, será lavar a boca do cão com água, de forma abundante. Muito importante – se suspeitar de contacto com a lagarta do pinheiro é importante proteger as suas mãos antes de contactar com as zonas em que o seu cão tenha sido afectado, porque corre também o risco de exposição na sua pele.

Como proteger o cão da lagarta do pinheiro

A melhor forma de proteção é evitar o contacto. Assim, mantenha-se atento ao seu cão nos passeios pelo campo, principalmente na altura da primavera. E especialmente se tem um cão curioso e que tenta comer tudo o que mexe.

Não existe vacina ou qualquer tipo de produto para colocar no cão, por isso a prevenção é a melhor medida.

PUB PUB