Que cuidados a ter na escolha da raça na adoção de um cão?

Cuidados a ter na escolha da raça

O segredo na escolha da raça na adoção de um cão é a compatibilidade com o dono

A escolha da raça deve ser baseada no estilo de vida do dono

Como seja, o tempo que terá disponível para cuidar do animal ou o espaço que terá disponível em casa.
Assim, o dono deve fazer uma pesquisa cuidadosa sobre algumas raças. Esta deve dar atenção a:

  • nível de exercício que precisam
  • cuidados necessários com o pelo
  • sociabilidade
  • disposição
  • docilidade

O tamanho do novo animal também é importante

Apesar de existirem exceções, a maioria dos cães de grande porte não deve ser criada em locais pequenos. Estes cães precisam de espaço para se movimentarem dentro de casa ou no jardim.

Os cães de raça possuem padrões definidos de aparência e de temperamento

Pelo contrário, podem estar predispostos para diversos problemas de saúde, muitos deles de natureza hereditária. Já o rafeiro pode ser uma ótima opção dada a sua resistência. No entanto, não é possível prever o seu temperamento em função do desconhecimento dos antecedentes genéticos.
Se a intenção é comprar uma raça específica, então a melhor opção é procurar um criador. É aconselhável visitar vários criadores antes de tomar uma decisão e os futuros donos podem procurar uma lista junto do
Clube Português de Canicultura.

Um criador responsável mantém o recinto para a ninhada limpo e sem maus cheiros

A mãe deixa o criador manipular à vontade os cachorros, que mostram curiosidade e vêm cumprimentar as visitas. O criador também deixa ver a mãe e o pai da ninhada sem constrangimentos. Além disso, sabe dar informações sobre estes e as particularidades de temperamento e comportamento de cada cachorro.
Na altura de ir buscar o seu cachorrinho, pode pedir uma árvore genealógica. Da mesma forma, deve pedir o certificado de vacinas, pois um animal nunca deve ser entregue sem antes ter feito uma imunização básica. Parvovirose, Esgana e Hepatite Infecciosa são as vacinas que os cachorros deverão receber, assim como os respetivos reforços necessários, ao longo dos primeiros meses de vida. Estas deverão ser ministradas na íntegra por volta das 16 semanas de vida. Após os quatro meses, segue-se a da raiva.

São ainda recomendadas vacinações contra:

  • Traqueobronquite Infecciosa Canina (vulgarmente conhecida como tosse do canil)
  • Babesiose (agente da “Febre da Carraça”)
  • Leishmaniose, cujo período de vacinação adequado será sempre indicado pelo médico veterinário assistente

Nunca se esqueça que a vacinação deverá seguir sempre um protocolo definido pelo médico veterinário assistente que decidirá, em cada um dos casos, o que melhor se ajusta ao seu animal.