Como acalmar o seu cão na época do fogo-de-artifício

Como acalmar o seu cão na época do fogo de artifício

Existem estratégias para ajudar o animal a lidar com o barulho associado às festas de final de ano. Estas têm como objetivo acalmar o seu cão na época do fogo-de-artifício.

Na altura da passagem de ano, o tema do medo do fogo-de-artificio é recorrente. Principalmente por parte de donos preocupados com o comportamento dos seus cães. Este medo pode inclusivé levar a fobias de consequências extremas. Há animais que fogem de casa, podendo sofrer acidentes. Há outros que até chegam a atacar pessoas.

Apresentamos, por isso, algumas técnicas que poderão ajudar a lidar com esta situação.

Criação e habituação de uma zona segura

Criar uma zona de segurança em casa, onde o animal se possa refugiar, é uma ótima forma de antecipar a situação de risco. Antes da potencial situação de medo ocorrer, habitue o seu cão a ficar nessa zona. A zona segura pode ter ainda obstáculos ao ruído, como cobertores.

Produtos à base de feromonas

Estes produtos ajudam a apaziguar o animal. Neste sentido, ele irá conseguir adaptar-se melhor a situações potenciadoras de stresse. Importa referir que estes produtos não têm efeitos secundários e não necessitam de receita médico-veterinária. No entanto, convém existir algum aconselhamento veterinário antes de utilizar estes produtos. Deste modo, o tutor do animal deve: – entender a forma de atuação – saber utilizar o produto corretamente – obter informação realista em relação aos resultados esperados.

Medicação e suplementos

Existem medicação e suplementos que podem ajudar a lidar com o stresse e as fobias. Alguns medicamentos têm efeito sedativo, o que pode resolver o problema, mas apenas no imediato. Outros medicamentos são utilizados no maneio crónico de patologias do comportamento. Seja qual situação for, estes medicamentos requerem prescrição do médico veterinário assistente.

Treino

Um treinador de cães especializado irá trabalhar sobre a desensibilização progressiva do animal, na resposta ao fogo-de-artifício. Cada treinador terá a sua técnica. No entanto, é necessário tempo e persistência para resultados concretos e duradouros.

Todas estas técnicas podem ser utilizadas em conjunto ou separadamente. Aconselhamos sempre uma conversa com o médico veterinário assistente. Este, em conjunto com o tutor, irá ajudar a formar um plano que faça sentido. Este plano terá também em conta o caso concreto do animal. Uma das propostas, por exemplo, poderá ser a referenciação para uma consulta com um médico veterinário especialista em comportamento animal.

PUB PUB