Cães e tabaco – só ao ar livre!

Cães e tabaco - só ao ar livre! Veja que cuidados ter

Será que os malefícios do tabaco também afetam os cães? Os malefícios do tabaco para os seres humanos são muito conhecidos. Não só para os fumadores ativos, mas também para os chamados fumadores passivos que, inadvertidamente, inalam fumo do tabaco.

Mas será que também afetam os cães? Claro que sim! Aliás, há estudos que indicam que podem ser mais afetados ainda que seres humanos. Isto porque são, muitas vezes, mais baixos e estão constantemente expostos aos produtos químicos que aderem às superfícies, como os tapetes e os cortinados.

Os cães que vivem em casas de fumadores estão mais sujeitos a condições como:

  • asma
  • rinite
  • conjuntivite
  • bronquite
  • pneumonia
  • lesões na pele
  • fadiga
  • tosse constante

Além do claro mal estar que estas condições dão aos cães, há ainda a componente dos tratamentos. De custo elevado, obrigam à toma de medicamentos de forma recorrente e, em casos mais graves, a internamentos. Com os óbvios custos associados. A esperança de vida pode ser, por isso, bastante reduzida.

Existe ainda uma corelação demonstrada entre a inalação do fumo de tabaco e cancro. Tumores nasais e cancro de mama são mais especialmente incidentes em raças como retrievers e pastores alemães. As raças de focinho curto, como os boxers ou os buldogues, são mais afetados por cancro do pulmão. Isto deve-se ao facto de as vias nasais serem mais curtas, levando os químicos do tabaco, de forma mais imediata, aos pulmões.

Para proteger o seu cão dos malefícios do tabaco, adote estas medidas:

  • evite fumar dentro de casa
  • lave as mãos depois de fumar
  • mantenha os cinzeiros limpos

Desta forma, irá ter um companheiro saudável por muitos e bons anos.

PUB PUB