As quedas de cabelo não são todas iguais!

AE moda beleza web | Auchan&Eu

A queda de cabelo é um fenómeno que ocorre naturalmente ao longo do ciclo do cabelo, dividindo-se em três fases. Quando assim é, não há motivo para alarme. Existindo algum desequilíbrio, já há.

A alopecia é uma condição em que ocorre perda de cabelo ou de pelo em qualquer parte do corpo. Porém, o tipo mais comum é o que se manifesta no couro cabeludo. Este distúrbio, que pode ser passageiro ou definitivo, afeta todos os sexos e existem diferentes causas, tipos e graus.
Quando ocorre algum desequilíbrio no ciclo normal de nascimento, crescimento e queda do cabelo – de forma excessiva, prolongada ou numa fase imprevista do ciclo – entramos nas quedas de cabelo patológicas, sendo que existem alguns tipos mais frequentes que outros.

  • A alopecia androgénica ou calvície é a queda de cabelo mais comum, tanto nos homens como nas mulheres. Embora tenham um padrão e evolução diferente em ambos os sexos, têm uma causa comum, alguns folículos pilosos respondem aos androgénios (hormonas) com atrofia progressiva. Esta reflete-se numa fase de crescimento (anagénese) mais curta e numa redução também progressiva da espessura e dimensão dos fios de cabelo, até eventualmente caírem.
  • O deflúvio telogénico também é bastante frequente, especialmente nas mulheres, devendo-se a vários estímulos que alteram o ciclo de crescimento e renovação do cabelo. As principais causas são a deficiência nutricional, a anemia, o “stress” emocional e as alterações hormonais.
  • Quando existem áreas localizadas de perda de cabelo ou de pelos sem destruição dos folículos estamos perante a alopecia areata. Este tipo é mais frequente nas crianças e jovens e é considerada atualmente uma doença autoimune, com influências genéticas e desencadeantes ambientais.

Estes são os principais tipos, mas existem muitos outros que se podem dividir em hormonais, os que derivam por falta de elementos nutricionais importantes para a saúde capilar e os dependentes de ‘erros’ no sistema imunitário.
O tratamento das alopecias depende do tipo e da gravidade, assim como os resultados variam de pessoa para pessoa. No entanto, há algumas técnicas que se podem adotar de modo a prevenir a queda do cabelo, como o uso de champôs apropriados, evitar pranchas e secadores, ter uma alimentação rica em nutrientes, manter uma boa hidratação e evitar o consumo de substâncias toxicas, como o tabaco e o álcool.
A alopecia androgénica ou calvície é a queda de cabelo mais comum, tanto nos homens como nas mulheres.
Procure um médico se a queda de cabelo é maior do que o habitual e se aconteceu repentinamente, se está associada a comichão ou dor e se tem histórico familiar.

Artigo realizado pela Brand Story Content da Global Media Group para a Revista “A Minha Saúde e Bem Estar” da Auchan, edição nº87,2022