Jogos tradicionais

Há jogos que não existem nas consolas e que são tão ou mais divertidos. Vêm do tempo dos avós dos nossos avós e nunca vão deixar de nos animar, com amigos ou em família.

JOGO DO LENÇO

Nº de jogadores: No mínimo, seis jogadores. Se conseguirem mais, melhor!

Material necessário:  Um lenço!

Como se joga: Comecem por dividir os jogadores em duas equipas. Para além das duas equipas, deve ficar um participante como árbitro. Cada equipa deve combinar entre si atribuir um número secreto a cada jogador que não pode ser dito à equipa adversária. Define-se um espaço e, ao centro, o árbitro segura um lenço com o braço esticado. Ao acaso, o árbitro diz um número. Imaginem que é o “4”. Assim que acaba de dizer o número, o jogador que tiver ficado com o número “4” em cada equipa deve começar a correr em direção ao lenço. O primeiro que o conseguir agarrar, ganha um ponto para a sua equipa!

JOGO DO PIOLHO

Nº de jogadores: No mínimo, quatro jogadores.

Material necessário:  Uma bola.

Como se joga: Antes de começar o jogo desenhem três linhas paralelas num terreno plano a uma distância equivalente.
Sorteiam-se dois jogadores que vão ser os piolhos, que ficam opostos fora das linhas (como no desenho). Os outros jogadores devem estar dentro das linhas.
O objetivo do piolho é passar a bola ao outro piolho sem que os jogadores dentro das linhas consigam agarrar a bola, se um dos jogadores agarrar a bola troca de lugar com o piolho.
Os jogadores dentro das linhas não as podem ultrapassar.

JOGO DO PREGO

Nº de jogadores: Quatro a cinco jogadores.

Material necessário:  Objetos que sirvam de “pregos” (pás de praia, paus, etc…), areia ou terra solta para os “pregos” conseguirem ser espetados. O ideal é jogar na praia, na areia seca.

Como se joga: Cada participante terá que espetar o “prego” (que deverá ter uns 15 a 20 cm) na areia, de diferentes formas. O que deve ir variando e sendo cada vez mais difícil é a forma como o atiram para depois ficar espetado. Por exemplo, pegando-lhe com os dedos (dois, três, quatro) ou dando-lhe efeito com outras partes do corpo, tais como braços, pernas e até coxas.
O jogador continua a jogar enquanto o “prego” conseguir ficar espetado depois de ser atirado. Quando alguém não consegue, deixa de jogar, ficando o prego no local onde caiu. Os jogadores a seguir têm de respeitar a forma de atirar o prego, devendo repetir o exercício feito pelo jogador que acabou de perder.
Ao mesmo tempo, e para além de espetarem o prego, os jogadores deverão procurar acertar no prego que está na areia. Sempre que o conseguirem, eliminam do jogo o dono desse prego.

PUB PUB