Quando eles não querem ceder

Quando não querem ceder: Ideias que ajudam

Escolher e tomar decisões implicam processos de aprendizagem pessoal, com os quais as crianças são confrontadas, desde muito pequenas. Por vezes levam a atitudes de intransigência que acabam em birras. É tudo normal. Quando eles não querem ceder numa escolha ou numa decisão, o adulto pode reagir de diferentes formas em função do contexto.

Aqui vão algumas ideias para ultrapassar de forma pacífica essas situações de tensão:

  • Se não estiver de acordo, mas as consequências foram de menor importância, ceda.
    A escolha errada também faz parte da aprendizagem
  • Tente sempre explicar que cada escolha ou opção tem consequências.
    Se depender de si, explique e depois implemente as consequências, sem argumentar. Por exemplo, “não quer colocar as braçadeiras, então não pode ir tomar banho na piscina ou no mar”
  • Solicite a participação deles nas escolhas possíveis para eles sentirem que têm espaço para optar.
    Assim, quando não for possível optar, a decisão imposta pelo adulto vai ser melhor aceite
  • Quando eles não cedem, explique as consequências, e depois envolva-os nos caminhos a seguir.
    Peça a opinião ou ajuda deles sobre o que consideram ser a solução para resolver o problema. Deixe passar alguns minutos e mais tarde regresse ao assunto, para eles terem tempo para refletir
  • Se eles persistirem, tente demonstrar que compreende o ponto de vista deles mesmo que considere não ser aceitável. Mantenha a calma. Por exemplo, “não quero ir para a cama! “. Tente divergir a atenção e começar a falar sobre qual o pijama que vão escolher, a história que gostavam de ouvir, etc. A criança vai perceber que não mudou de ideias, mas tem mais probabilidades de aceitar a decisão
  • Quando eles escolhem bem, elogie!
PUB PUB