Fraldas descartáveis vs reutilizáveis: quem ganha?

A primeira fralda descartável como a conhecemos atualmente foi lançada em 1961; no entanto, desde essa altura passou por muitas inovações até chegar ao conceito de hoje.

Estima-se que um bebé até à idade dos 2-3 anos utilize cerca de 5000 a 7000 fraldas e que uma fralda descartável possa demorar até 500 anos a decompor-se. Este facto veio trazer cada vez mais preocupações ambientais.

Sendo assim, quando o bebé nasce, quais as opções que hoje em dia os pais têm à sua disposição? Quais as vantagens e desvantagens?

Fraldas descartáveis comuns

Constituídas por polímeros superabsorventes em 3 camadas. A camada mais exterior normalmente tem uma loção que está em contacto com a pele do bebé e a protege das agressões das fezes e urina. O facto de poderem conter mais ingredientes químicos poderá fazer com que o bebé desenvolva mais eritema da fralda ou alergias, tornando-se uma desvantagem a sua utilização. Para além do desperdício e impacto ambiental que acarreta. São ainda assim as mais convenientes.

Fraldas descartáveis ecológicas

Constituídas por materiais biodegradáveis, como a fibra de celulose, menor quantidade de materiais sintéticos e sem substâncias alergénicas. No caso de peles mais sensíveis, serão sem dúvida uma mais-valia. O tempo que demoram a se decompor é significativamente inferior (cerca de 50 anos); no entanto, têm um custo mais elevado do que as fraldas descartáveis comuns. Para além da composição, o processo de fabrico destas fraldas utiliza menos recursos energéticos, tornando-as “eco-friendly”.

Fraldas reutilizáveis

Normalmente constituídas por algodão orgânico e livres de substâncias químicas, sendo também uma excelente opção para peles sensíveis. Outros benefícios incluem a poupança a longo prazo (no entanto, necessitam de um investimento inicial) e a redução no desperdício.
Imaginando que podemos ainda utilizar as fraldas noutros bebés que nasçam na família, poupança poderá ser ainda maior.

A necessidade de lavagem após cada utilização e a conveniência nas saídas com o bebé poderão ser desvantagens para os pais no momento de optar por estas fraldas.

O bebé tem uma maior sensação de fralda molhada durante a sua utilização (uma vez que não existem produtos químicos para absorver a humidade), o que pode levar a um processo de desfralde mais precoce.

Fontes:
  1. Common Diaper Ingredient Questions: Modern Disposable Diaper Materials Are Safe and Extensively Tested, Jennifer Counts, PhD, Annie Weisbrod, PhD, Shan Yin, MD, MPH
  2. Bernice Krafchik MD, History of diapers and diapering
  3. Cloth Diapers: Truth, Facts and Benefts for Infant and Family; https://www.chla.org/blog/rn

Artigo realizado pela Dr.ª Marta Silva Domingues
Farmacêutica e Responsável Técnica Saúde & Bem-Estar na Figueira da Foz, para a Revista “A Minha Saúde e Bem-estar” da Auchan, edição nº73, 2021

PUB PUB