Dar colo a mais, existe?

O colo é um contato físico intenso com o bebé, que transmite calor humano, acolhimento e proteção. Quando o bebé está ao colo, consegue ouvir o bater do coração do adulto, tal como ouvia quando estava no útero materno. É um ato natural, que transmite afetos essenciais para o desenvolvimento do bebé.

Nos primeiros meses, o colo é indispensável porque a sensação de proteção, que promove, permite reduzir a insegurança do ambiente fora do útero materno, que agora é um vazio. Nos primeiros dois anos de vida, o colo é uma forma de carinho dos pais e deve manter-se, apesar de ser menor à medida que a criança vai ganhando autonomia física.

O desejo de autonomia também se desenvolve naturalmente, por isso, a maioria dos especialistas em pediatria fala do colo como algo natural, que não deve ser forçado nem rejeitado.

O colo também traz conforto numa situação de doença ou sofrimento porque transmite a partilha dessa dor. Reconfortar uma criança depois duma queda, por exemplo, contribui de facto para minimizar o seu sofrimento. Quando os bebés têm cólicas, o colo também ajuda.

Dizer que se dá colo a mais é algo que na realidade não se pode medir. O importante é estar presente e disponível fisicamente para os afetos à medida que a criança se desenvolve, e a um ritmo natural e equilibrado.

PUB PUB